- Links
» Página Inicial
» Estadão
» Revista Veja
» Revista Época
» Folha de São Paulo
» Revista Isto É
» Revista Carta Capital
» Prefeitura de Pirassununga
-
BALAIO DO BUYA
Jornal Virtual
-
» Contato
 
 
- Balaio do Buya
Dizimista 169

 

 
 
Edição nº 169 , de 14  de junho  de 2010
 
O mundo mágico da Internet
Sempre em cima do fato
O Dizimista– Primeiro jornal virtual de Pirassununga
A palavra que você não ouve, a notícia que você não lê, a realidade que você não enxerga.
 
SINOPSES - RESUMO DOS JORNAIS
 
14 de junho de 2010
O Globo
 
Manchete: Lula: oposição faz “jogo rasteiro“ com dossiês
Candidata oficial, Dilma prega “continuidade da mudança“

Ao discursar ontem na convenção do PT que oficializou a candidatura à Presidência de Dilma Rousseff, o presidente Lula atacou a oposição e disse esperar que seus adversários "não façam jogo rasteiro, inventando dossiês todo dia". A cúpula do PSDB vem cobrando explicações do PT sobre a elaboração de um dossiê contra seu candidato à Presidência, José Serra. Dirigentes tucanos chegaram a classificar o episódio como uma quebra do estado de direito. Na festa petista, cujo lema foi "a continuidade da mudança", Dilma acabou ofuscada pela desenvoltura do presidente no palanque e, em seu discurso, citou o nome de Lula mais de vinte vezes. Militantes do movimento de mulheres vaiaram o trecho de um dos jingles do PT, que chama Dilma de "coroa", e também exigiram que a candidata fosse chamada de presidenta. (Págs. 1 e 3 a 10)

Foto legenda: Sombra: Dilma e Temer, candidatos oficiais da aliança PT-PMDB, ouvem discurso de Lula
Petrobras faz no país 75% de suas compras
O índice de nacionalização de encomendas da Petrobras subiu de 57% para 75%, um salto de US$ 18 bilhões, em seis anos. Para os críticos, a política do governo é excessivamente nacionalista e pode gerar reserva de mercado, como aconteceu com a informática no passado. (Págs. 1 e 17)

O governo americano quer que a BP crie uma conta para pagar os pedidos de indenização com o vazamento de óleo. (Págs. 1 e 18)
Jorgina sai da cadeia após 13 anos
A maior fraudadora da Previdência, a ex-advogada Maria Jorgina de Freitas, que causou um rombo de cerca de R$ 400 milhões na década de 90, foi solta, após 13 anos de prisão. Ela deixou a penitenciária Oscar Stevenson, em Benfica, onde cumpriu parte da pena. (Págs. 1 e 11)
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo
 
Manchete: À sombra de Lula, Dilma promete “alma de mulher“
“Mudei de nome e vou colocar Dilma“, afirma presidente; candidata fala em “continuidade da mudança“

A candidatura de Dilma Rousseff à Presidência, oficializada ontem em Brasília, reforçou a aposta no presidente como cabo eleitoral.
"Mudei de nome e vou colocar Dilma", disse Lula.

A ex-ministra, menos popular no eleitorado feminino, pregou um governo com "alma de mulher". Na convenção do PT, vídeos citavam brasileiras ilustres, e um espaço nobre foi reservado ao público feminino.

"O tabu que derrubamos foi o de que era impossível governar para todos", discursou Dilma. "A continuidade que o Brasil deseja é a continuidade da mudança."

Em 51 minutos, a candidata prometeu campanha de "alto nível", com o confronto de projetos. "Sei estimular o debate sério, e não o envenenamento." (Págs. 1 e A4)

ANÁLISE: O presidente Lula sabe que sua criatura está longe de empolgar, escreve Valdo Cruz. (Págs. 1 e A7)

Foto legenda: O presidente Lula discursa na convenção nacional do PT, em Brasília, à frente de Dilma

Oposição inventou dossiê, diz presidente

O presidente Lula afirmou em discurso na convenção do PT esperar que os seus adversários “não façam jogo rasteiro, inventando dossiê todo dia".

Disse que sabe como a oposição funciona e pediu tranquilidade a Dilma "porque o bicho vai pegar".

A Folha revelou que há um dossiê com dados fiscais sigilosos de Eduardo Jorge, vice-presidente do PSDB.

Lula levantou suspeitas sobre a neutralidade da imprensa nas eleições. (Págs. 1 e A6)

Na convenção tucana que oficializou sua candidatura ao governo, Geraldo Alckmin atacou Dilma. (Págs. 1 e A8)
Boa notícia: Programa de TV ajuda a recuperar detentas em SP
Em Votorantim, no interior de São Paulo, presas fazem o primeiro programa de TV numa prisão. Criado para ressocializar, o TV Cela fez das detentas celebridades nos presídios. (Págs. 1 e C4)

A seção "Boa Notícia" volta a ser publicada na Primeira Página.
Dentista fatura R$ 120 mi com clínicas para as classes C, D e E
Dona de uma rede de 111 clínicas voltadas para as classes C, D e E, a dentista Carla Renata Sarni, 36, faturou R$ 120 milhões em 2009.

A Sorridents, que já atendeu mais de 1 milhão de pacientes, nasceu em 1995 com uma cadeira de dentista alugada na zona leste de São Paulo. A clientela paga em até 12 meses. (Págs. 1 e B6)
Ruy Castro: Simon iguala-se em oportunismo aos que atacava
Na noite de quarta, o senador Pedro Simon (PMDB-RS) perdeu a oportunidade de dormir como um político respeitado. Ele ressuscitou uma emenda sobre royalties que é inconstitucional.

Agora Simon se iguala em marotice e oportunismo aos políticos que já atacou e, com isso, se despede dos que um dia o admiraram. (Págs. 1 e A2)
Afeganistão tem US$ 1 trilhão em minérios, diz jornal dos EUA (Págs. 1 e A13)
 
OAB vai apurar se homicídio de advogada tem elo com clientes (Págs. 1 e C4)
 
Entrevista da 2ª: Abdias Nascimento
Para brasileiro indicado ao Nobel, falta ousadia a Lula

O pintor, dramaturgo e poeta negro Abdias Nascimento, 96, indicado ao Prêmio Nobel da Paz, diz que o governo Lula é "pouco ousado", defende com restrições Marina Silva (PV) e afirma que o discurso da miscigenação é "para ajudar o Brasil a continuar racista".

Abdias vê com ceticismo a possibilidade de ganhar o Nobel: "Não acredito em vitória. O meu estrato social é de gente humilde, sem essa auréola de astro". (Págs. 1 e A16)
Editoriais
Leia "Nova fase", sobre o lançamento oficial das candidaturas presidenciais; e "Decolagem atrasada“" acerca de investimentos em aeroportos. (Págs. 1 e A2)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo
 
Manchete: Ao lado de Lula, Dilma diz que rivais usam “veneno“
Presidente domina festa de oficialização da candidatura da ex-ministra, que responde às críticas de Serra

Na convenção do PT que oficializou sua candidatura à Presidência em Brasília, Dilma Rousseff prometeu ontem fazer um governo de “união de forças" e vestiu o figurino de herdeira do presidente Lula. Ela disse que, se eleita, continuará o "Brasil de Lula", com alma e coração de mulher. "Sei como estimular o debate político sério e não o envenenamento, que não serve a ninguém", afirmou. Foi um recado ao adversário do PSDB, José Serra, para quem o governo do PT joga
"pobres contra ricos" e quer dividir o País. Os petistas prepararam um mega espetáculo para Dilma, mas a estrela da festa foi mesmo Lula, de longe o mais aplaudido. "Vai haver um vazio na cédula e, para que esse vazio seja preenchido, eu mudei de nome e vou colocar Dilma lá. Ai o povo poderá votar", afirmou o presidente. (Págs. 1 e Nacional A4)

A escolha possível

Para Frei Betto, ex-integrante do governo e amigo do presidente Lula, "Clima é a candidata do PT por falta de opção". (Págs. 1 e Direto da Fonte D2)
Passaportes brasileiros terão chip eletrônico
Os passaportes comuns emitidos pela Polícia Federal terão, a partir de dezembro, um chip eletrônico, tecnologia já adotada por países da União Europeia e Estados Unidos. O documento será mais seguro que o atual e vai armazenar mais dados. O passaporte com chip vai custar quase o dobro para a PF. O Ministério da Justiça confirmou que a taxa de emissão aumentará. (Págs. 1 e Cidades C1)
Consumidor ficou mais tempo sem luzem 2009
A qualidade do fornecimento de energia elétrica piorou em 2009 com o aumento de apagões em todo o País. Dados da Aneel mostram que, pela primeira vez desde a privatização. O número de horas em que os consumidores ficaram sem luz superou o limite estabelecido. O tempo médio subiu de 16,63 para 18,70 horas. As empresas atribuem o resultado ao clima. (Págs. 1 e Economia B1 e B3)
Colômbia resgata mais dois reféns das Farc (Págs. 1 e Internacional A14)
 
Falta de leitos impede transplantes de medula (Págs. 1 e Vida A18)
 
Carlos A. Sardenberg: Copa e economia
A Copa de 2006 coincidiu com o auge da economia global. Agora, é a ressaca da crise. O ambiente em tomo das seleções é outro. A farra acabou. (Págs. 1 e Economia B2)
Visão Global: Israel deve mudar seu discurso
Onde estão a tristeza e a decepção que Israel deveria sentir por uma operação militar fracassada?, questiona Daniel Kurtzer. (Págs. 1 e Internacional A18)
Notas & Informações: A ameaça da Inflação
Para cumprir a promessa de conter a inflação, Lula deveria frear as despesas federais. (Págs. 1 e A3)
------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Brasil
 
Manchete: A política atrapalhou a segurança, diz Beltrame
Criador das UPPs diz que estado tinha esquecido de planejar

Os resultados trazidos à Segurança Pública do Rio pelas UPPs são a resposta de uma gestão que recuperou a importância do planejamento. Na visão do secretário José Mariano Beltrame, a interferência política havia privado as comunidades da presença dos agentes de governo e tirado da pasta a capacidade de agir preventivamente. Gaúcho, "dependente de chimarrão", afirma que pretende continuar no cargo caso o governador Sérgio Cabral se reeleja. (Págs. 1 e Tema do dia A2 e A3)
Dilma: Brasil com "alma de mulher"
A convenção do PT que confirmou Dilma Rousseff como candidata à sucessão mostrou a tônica da campanha. "Uma mulher que fará um Brasil de Lula, mas com alma e coração de mulher", definiu Dilma. Já Lula criticou o "jogo rasteiro" dos adversários. "Sabemos como funciona, sempre com muita tranquilidade, porque o bicho vai pegar", disse. (Págs. 1 e País A4 e A5)

Foto legenda: Festa - Lula pediu "uma campanha de alto nível"
Massacre no Quirguistão
Mais de 75 mil uzbeques do Quirguistão fugiram para o Uzbequistão para escapar do pior massacre étnico na região em 20 anos. Há centenas de mortos em Osh, a segunda cidade do país. A Rússia negou ajuda militar. (Págs. 1 e Internacional A15)
------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense
 
Manchete: Passagem liberada e confusão à vista
Rodoviários adiam greve, mas anunciam que vão circular com a catraca livre e ameaçam fazer paralisações-relâmpago. Empresários dizem ir à Justiça se categoria permitir o embarque gratuito. (Pág. 1)

Foto legenda: A guerra do ônibus: Grevistas aprovam nova estratégia após reunião entre sindicato e patrões: brasiliense deve ter muitos problemas no transporte apesar de a Justiça determinar 60% da frota em circulação
Foto legenda: Dilma investe no eleitorado feminino
Oficialização da candidata do PT à Presidência indicou a tônica que será usada em sua campanha. Discursos de Dilma Rousseff e de Lula se concentraram nas mulheres. Até o vermelho tradicional das bandeiras do PT cedeu aos tons de lilás. (Págs. 1 e 2 a 5)
Colômbia: Reféns das Farc são libertados após 11 anos
O general da polícia Luis Herlindo Mendieta foi resgatado pelo Exército no dia do seu aniversário. Com ele, o coronel Enrique Murillo. Anúncio da libertação foi feito pelo presidente Álvaro Uribe a uma semana do segundo turno da eleição presidencial no país. (Págs. 1 e 21)
Justiça: Receita pode levar calote de R$ 1,8 bi
Jogo de empurra entre a montadora coreana Kia Motors e a empresa brasileira Asia Motors adia há quase 10 anos o pagamento da dívida, valor suficiente para construir 40 mil casas populares. O caso está prestes a ser julgado pelo STJ. (Págs. 1 e 10)
------------------------------------------------------------------------------------
Valor Econômico
 
Manchete: Brasil vai puxar produção agrícola
O Brasil terá de longe o mais rápido crescimento da produção agrícola no mundo nos próximos dez anos, com expansão superior a 40%, o dobro da média mundial, comparado ao período 2007/9, segundo relatório de perspectivas agrícolas que a Agência para Agricultura e Alimentação das Nações Unidas (FAO) e a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) publicarão amanhã.

O país se firmará como grande celeiro do mundo, segundo as projeções de produção, consumo, estoque, comércio e preços para 2010/19 analisadas no estudo, ao qual o Valor teve acesso. Nesse período, a FAO e a OCDE esperam maior crescimento econômico global, com aumento da demanda e do comércio, além de preços elevados para os produtos agrícolas no médio prazo. (Págs. 1 e B16)
Renner aposta em decoração e moda jovem
Duas novas redes de varejo estão nos planos do presidente da Renner, José Galló. Um projeto é a Renner Casa, de artigos de cama, mesa, banho e decoração, que se justificaria pelo aumento do interesse do consumidor por artigos de decoração. A outra ideia é uma bandeira de moda jovem. "Poderíamos usar a nossa marca para esse público, a Blue Steel", diz Galló. Seria uma investida para concorrer com a Hering e a C&A.

Como outras empresas do setor, a Renner trabalha com vários formatos de lojas e já anunciou para o segundo semestre a abertura de duas unidades compactas. Ao flexibilizar o tamanho dos pontos de venda, a varejista abre oportunidades para lojas de rua (atualmente são apenas oito) localizadas em cidades menores, com cerca de 250 mil habitantes. (Págs. 1 e B4)
Foto legenda: Na trilha do cobre
Depois de mais de 10 anos sem investimentos de monta, a Paranapanema planeja aplicar R$ 500 milhões até 2013 para modernizar as linhas de produção, afirma Luiz Antonio Ferraz. (Págs. 1 e B10)
País perde apoio em Washington
O Congresso dos EUA pode extinguir, até o fim do ano, o benefício que permite a exportadores brasileiros vender bens e serviços, no valor de US$ 3,5 bilhões por ano, sem imposto de importação. O mecanismo, concedido por países ricos a economias de menor porte no âmbito do Sistema Geral de Preferências (SGP), favorece até 17,4% das vendas do país aos americanos. O fim do benefício é uma das possíveis consequências da ação diplomática brasileira no Irã. Outra, mencionada por especialistas e fontes oficiais, diz respeito ao etanol, produto que o Brasil não consegue exportar para os EUA por causa de uma sobretaxa. Nos próximos meses, o Congresso votará a manutenção ou não dessa sobretaxa. Principal defensor da liberação do etanol brasileiro, o líder do Partido Republicano na Comissão de Relações Exteriores do Senado, Richard Lugar, perdeu força para continuar apoiando o Brasil.

Segundo o Valor apurou, o governo americano buscará pontos de acordo com o Brasil e acredita que o próximo governo no país reduzirá a importância do Irã na política externa brasileira. Acredita-se, em Washington, que a aproximação com o Irã foi uma decisão pessoal do presidente Luis Inácio Lula da Silva, mais que o interesse da diplomacia ou das forças políticas no Brasil. (Págs. 1 e A3)
Alianças do PT e do PSDB em crise
O balanço das convenções até agora realizadas mostra que o PT repete a sina do PSDB na aliança com o PMDB. Caíram de 17 para 11 os palanques próprios dos petistas. Na aliança com os pemedebistas em 2002, os tucanos também cederam espaço. Este ano PSDB terá 17 palanques próprios, o PMDB, 15 e o PT, 11. Em 8 haverá embate direto entre petistas e pemedebistas. O PMDB deve se aliar ao PSDB em cinco Estados. Já os tucanos enfrentam dificuldades com o DEM, que ameaça não formalizar a aliança entre as duas siglas se o escolhido para vice-presidência não for um integrante do partido.

Na convenção do PT, a agora candidata Dilma Rousseff fez um discurso focado em genéricas propostas de "continuidade da mudança". Coube ao presidente Lula as tarefas de atacar a oposição e rebater os discursos da véspera feitos na convenção que formalizou a candidatura de José Serra. O tucano também fez promessas - como a de elevar investimentos e cortar juros e a carga tributária - sem detalhar como pretende atingir as metas. As convenções foram organizadas de forma a privilegiar a gravação das cenas que serão usadas nas campanhas de televisão. (Págs. 1 e A6 a A9)
Reunião de Bonn debate fundo mundial de patentes. (Págs. 1 e A10)
 
Cientistas apostam na clonagem para salvar espécies ameaçadas de extinção (Págs. 1 e B2)
 
Reduzir a pobreza é meta de Echeverry, provável futuro ministro da Colômbia (Págs. 1 e A16)
 
Fundos se acertam em Belo Monte
O FI FGTS, fundo de investimento em infraestrutura do FGTS, e os fundos de pensão Previ, Petros e Funcef terão, direta ou indiretamente, cerca de 30% do consórcio Norte Energia, dono da usina de Belo Monte. (Págs. 1 e B1)
Cisco reorganiza o negócio
A Cisco, líder mundial em infraestrutura para telecomunicações, pretende centralizar a importação de seus equipamentos no Brasil. (Págs. 1 e B3)
China se rende aos Zegna
Crescimento da economia chinesa alavanca o consumo de luxo no país, que já representa um quarto do faturamento mundial da grife italiana de moda masculina Ermenegildo Zegna. (Págs. 1 e B4)
CSA inicia produção
Após cinco anos de obras e US$ 6,6 bilhões - 80% mais que o previsto -, entra em operação na sexta-feira a Cia. Siderúrgica do Atlântico, construída pela alemã ThyssenKrupp e a Vale. (Págs. 1 e B9)
Uniformidade acelera negócios
Com o apoio da FAO-agência das Nações Unidas para agricultura e alimentação -, Brasil lidera iniciativa para harmonizar a classificação, registro e produção de rações animais na América Latina. (Págs. 1 e B15)
Ações sob controle
Depois do “circuit breaker”, a Securities and Exchange Commission avalia regular a velocidade das ordens de compra e venda de ações, como parte do esforço para ampliara controle sobre mercados eletrônicos. (Págs. 1 e C2)
Estratégia segmentada
Líder brasileira em seguro de automóveis e residências, a Porto Seguro Itaú Unibanco, resultado da fusão entre as duas seguradoras em agosto de 2009, descarta a unificação de suas marcas. (Págs. 1 e C12)
Mercado automático
Depois de conquistar os fundos de investimento e os grandes investidores institucionais, corretoras passam a oferecer sistemas de algoritmos para orientar estratégias de clientes pessoa física. (Págs. 1 e D1)
Caça aos talentos
O Brasil não dispõe de um número suficiente de profissionais qualificados para acompanhar seu desenvolvimento econômico nos próximos anos, diz Alistair Cox, CEO da Hays, uma das maiores empresas de "headhunter" do mundo. (Págs. 1 e D10)
TJ do Paraná ajuda devedores
Inspirado em experiência semelhante no Rio Grande do Sul, o Tribunal de Justiça do Paraná lança mutirão para promover acordos entre empresas credoras e consumidores endividados. (Págs. 1 e E1)
Ideias
Luiz Werneek Viana
O futuro fez sua aparição nesta sucessão presidencial com o discurso com que Marina Silva lançou-se pelo PV. (Págs. 1 e A9)
Ideias
Luiz Carlos M. de Barros
Agravamento da crise europeia pode interromper a recuperação nos EUA e golpear a economia mundial. (Págs. 1 e A15)
------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas
 
Manchete: Bancos são réus em quase 70% das ações (Pág. 1)
 
------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio
 
Manchete: Seleção terá aula de Coreia do Norte (Pág. 1)
 
Foto legenda: Convenção: Lula prestigia lançamento de Dilma à Presidência (Pág. 1)
 
Cresce pressão para Lula manter aumento dos aposentados (Pág. 1)
 
Jorgina de Freitas ganha liberdade depois de 14 anos (Pág. 1)
 
------------------------------------------------------------------------------------
 
 
13 de junho de 2010
Tá feia a coisa na campanha de José Serra (PSDB/SP). O homem fez tantos inimigos ao longo do tempo, que nem tucanos paulistas aguentam ele.

Deu na coluna de Elio Gaspari:

"Brotou um novo derivativo na campanha de José Serra. Depois do voto Dilmasia em Minas Gerais, prefeitos do interior de São Paulo namoram o voto Dilmin. Dilma para presidente e Alckmin para governador. Geraldo Alckmin pode se sentir mais confortável no Palácio do Bandeirantes com Dilma Rousseff no Planalto."

Comentário: Dilma se sentirá mais confortável no Palácio do Planalto com Mercadante no Bandeirantes. O povo de São Paulo também.

Alckmin quer se livrar de Serra e da rejeição de Serra, e não quer perder votos lulistas.
 
 
Deu na Folha de São Paulo
 
Dilma diz que combaterá "inimigos da democracia"
Convenção do PMDB oficializa Temer candidato a vice na chapa de petista

Sem citar dossiê feito por equipe ligada à sua campanha, Dilma diz que irá lutar contra mentira e manipulação

Sem menção explícita aos adversários, a pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, prometeu ontem combater os inimigos da democracia, que querem levar para trás o país e as "conquistas sociais do nosso povo".
"Nós vamos defendê-la [a democracia] com todo o coração dos seus inimigos, os que tentam fazer o Brasil andar para trás levando de roldão as conquistas sociais do nosso povo", disse Dilma, na convenção do PMDB, em Brasília, que indicou o deputado federal Michel Temer para seu vice.
"Vamos defender a democracia também dos seus maiores inimigos: a mentira, a manipulação e a falsidade", completou.
Dilma aproveitou o evento para elogiar figuras históricas do PMDB, em especial Ulysses Guimarães. Ela chegou a atribuir a ele o verso "Navegar é preciso", que o político paulista empregou quando enfrentava a ditadura militar, na década de 70.
"Esse verso de Ulysses mostrava que, sobretudo, mesmo quando a esperança é pequena, a coragem das pessoas tem que levá-las a andar."
Em 2004, o mesmo trecho já havia motivado uma confusão de Lula: "Eu poderia citar Ulysses Guimarães no discurso que ele fez na famosa campanha em 1974, a campanha da resistência, em que ele proferiu uma frase de uma música que talvez seja do Chico, mas cantada pelo Caetano, que dizia: "Navegar é preciso“".
A canção "Os Argonautas", de Caetano Veloso, tem como refrão "Navegar é preciso, viver não é preciso", lema atribuído ao general Pompeu, da Roma antiga. A primeira parte é também título de um poema do português Fernando Pessoa.
Dilma também citou o senador Pedro Simon (RS) e elogiou o presidente do Senado, José Sarney (AP), que, segundo ela, teve a missão de conduzir o país na transição entre entre a ditadura militar e a democracia.

CONVENÇÃO
A organização da campanha de Dilma elegeu as grandes mulheres brasileiras como tema da festa que o PT faz hoje para lançar a candidatura dela à Presidência.
Em telões espalhados por todo o auditório, mulheres como Chiquinha Gonzaga e Anita Garibaldi, entre muitas outras, serão lembradas para reforçar o nome da petista.
O evento será iniciado com a baiana Virgínia Rodrigues cantando o hino nacional. Um novo jingle, insistindo em Dilma como "uma grande brasileira" e como a continuação de Lula reforçará o clima de festa.
Em seu discurso, Dilma irá falar da importância de uma coalizão para dar seguimento ao legado de Lula, sem fazer ataques aos tucanos.

PDT
Ontem, durante a convenção do aliado PDT, em São Paulo, Dilma citou em seu discurso políticos da legenda, como Getúlio Vargas, Darcy Ribeiro, João Goulart e Leonel Brizola.
Ela ainda destacou que "os responsáveis pela construção do Brasil moderno permanecem vivos na memória do país. Não se vira a página de quem deixou a Petrobras, o BNDES, o salário mínimo".
(ANA FLOR, RANIER BRAGON, MÁRCIO FALCÃO E FERNANDO GALLO)
 
 
 
Repasse: se nos anos 40 existisse internet, Hitler não teria assassinado milhões de judeus.
 
Buya neles!!!
 
 
 
 
- Buya




Buya ©.Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta
página em qualquer meio de comunicação.