- Links
» Página Inicial
» Estadão
» Revista Veja
» Revista Época
» Folha de São Paulo
» Revista Isto É
» Revista Carta Capital
» Prefeitura de Pirassununga
-
BALAIO DO BUYA
Jornal Virtual
-
» Contato
 
 
- Balaio do Buya
Dizimista 178

 

 
 
Edição nº 178, de 22 de junho  de 2010
 
O mundo mágico da Internet
O site mais visitado da região
O Dizimista– Primeiro jornal virtual de Pirassununga
A palavra que você não ouve, a notícia que você não lê, a realidade que você não enxerga.
 
SINOPSES - RESUMO DOS JORNAIS
 
23 de junho de 2010
O Globo
 
Manchete: Aumenta a dependência do país ao capital especulativo
BC reduz previsão de entrada de investimentos estrangeiros produtivos

O Banco Central e o mercado reduziram a previsão de entrada de investimento estrangeiro direto - produtivo - no país para 2010. A estimativa para este ano era atrair US$ 45 bilhões, e o BC reviu a projeção para US$ 38 bilhões. O mercado aposta em US$ 35 bilhões, como consequência da crise na Europa Com isso, para fechar suas contas externas, o Brasil passa a depender do ingresso do capital financeiro, mais especulativo, que chega em busca de juros altos e ganhos com ações. É esse dinheiro que passa a financiar o déficit com o exterior, que só em maio ficou em US$ 2,02 bi, o pior desde 2001. (Págs. 1, 23, Elio Gaspari, Merval Pereira e editorial "Tucano se equivoca sobre papel do BC")

Enquanto isso, na Inglaterra...

Para conter seu déficit público, o Reino Unido lançou pacote de austeridade alimentando impostos sobre bancos e congelando até os gastos da rainha. O aperto fiscal é considerado o maior desde a era Margaret Thatcher, no início dos anos 80. (Págs. 1 e 24)
Chuvas: AL e PE ficaram sem verba
Com 29 pessoas mortas pelas chuvas, Alagoas não recebeu dinheiro do programa de prevenção de desastres do Ministério da Integração Nacional este ano. Pernambuco, onde morreram 12, ficou só com R$ 172,2 mil. O governo liberou R$ 50 milhões para os dois estados, onde vítimas sofrem com falta de água e comida (Págs. 1, 3 e 4)
´Rolling Stone´ pode derrubar general dos EUA
O comandante militar dos EUA no Afeganistão, general Stanley McChrystal, pode perder o posto por críticas ao presidente Obama e a altos funcionários civis na "Rolling Stone". (Págs. 1 e 30)
Lula se irrita com protesto em Belo Monte
Presidente pede que manifestantes proponham alternativas à usina e sugere que o cineasta James Cameron proteste no Golfo do México, onde vaza óleo há dois meses. (Págs. 1 e 29)
Petrobras adia capitalização para setembro
Petrobras adiou para setembro sua capitalização, prevista para julho. A estatal precisa de US$ 58 bilhões. O governo pode mudar a lei ambiental para conter vazamentos. (Págs. 1 e 25)
Mensalão do DEM: deputada do dinheiro na bolsa é cassada (Págs. 1 e 14)
 
CVM pune Sérgio Andrade, ex-presidente do Conselho da Telemar (Págs. 1 e 24)
 
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo
 
Manchete: General critica Obama e abre crise nos EUA
Comandante no Afeganistão afirma que o presidente é despreparado e é convocado para reunião na Casa Branca

O comandante dos EUA no Afeganistão, Stanley McChrystal, foi convocado para reunião na Casa Branca após ele e auxiliares chamarem Barack Obama de despreparado e insultarem assessores do presidente.

Os comentários saíram em reportagem no site da revista "Rolling Stone".

Segundo a mídia, o general pôs d seu cargo à disposição. Obama, descrito como "desconfortável e intimidado", não decidiu se aceitará o pedido de demissão.

O total de americanos mortos no Afeganistão passou de mil na década. A retirada do país, marcada para 2011, pode demorar mais.

Logo depois de assumir, Obama deslocou do Iraque para o Afeganistão o principal eixo da preocupação militar americana. (Págs. 1 e A12)

Análise
A falta de resultados no Afeganistão é o pano de fundo da crise, comenta o jornal "Financial Times". (Págs. 1 e A12)
Cotado a vice de Serra nomeia ´fantasmas´
O presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra, emprega nove de uma mesma família em escritório no Recife. Oito parentes do assessor Caio Oliveira não dão expediente nem são conhecidos por quem trabalha lá.

A família recebe cerca de R$ 20 mil mensais, informa Breno Costa. Cotado para ser vice de José Serra, Guerra negou irregularidades. O senador disse que todos dão "suporte" para suas atividades no Estado. (Págs. 1, A4 e A6)
Foto legenda: Por água abaixo
Ponte em Palmares (PE) destruída pelas chuvas que mataram ao menos 41 em Alagoas e Pernambuco; cidade alagoana enfrenta saques nas ruínas (Págs. 1 e C4)
Petrobras sofre revés e adia a oferta de ações
Contrariada, pois queria se capitalizar até julho, a Petrobras adiou para setembro a oferta pública de ações necessária para o plano de investir R$ 224 bilhões até 2014. O governo achou melhor esperar avaliação sobre reservas do pré-sal. (Págs. 1 e A11)
Arrecadação bate recorde pelo nono mês consecutivo
A arrecadação de tributos federais em maio foi a melhor da história para o mês, R$ 61,1 bilhões. Em 2010, ela já totaliza R$ 318 bilhões. A trajetória de recordes mensais começou em setembro.

Para analista, o governo deveria desonerar, não gastar mais, como faz. (Págs. 1 e B1)
Editoriais
Leia "Passo chinês", sobre mudanças no regime cambial do pais; e
"Dúvidas sobre a Receita", acerca da montagem de dossiês pela campanha petista. (Págs. 1 e A2)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo
 
Manchete: Chuva desabriga 115 mil no NE e ajuda federal deve levar 1 mês
Mortos em Pernambuco e Alagoas chegam a 41; burocracia atrasará o anunciado socorro de R$ 100 milhões

O número de mortos em Pernambuco e Alagoas em consequência de enchentes desde o dia 18 subiu para 41, e o de desabrigados passou de 115 mil. A Defesa Civil falava ontem em 607 pessoas desaparecidas, informam os enviados especiais Angela Lacerda e Edmar Melo. "Lembrei do tsunami e do terremoto no Haiti", disse o vendedor Ladjane Lopes, de Santana do Mundaú (AL), uma das cidades mais atingidas. O governo federal anunciou R$ 100 milhões para os municípios atingidos, mas a previsão é que a liberação da verba leve ao menos um mês, tempo necessário para analisar a documentação. Segundo o Ministério do Planejamento, a Defesa Civil dos dois Estados já recebeu R$ 50 milhões em caráter emergencial. A prefeita de Branquinha (AL), Ana Renata da Purificação Moraes, disse que quase tudo na cidade foi destruído - escolas, postos de saúde e a biblioteca. "Não tenho uma folha de papel para fazer uma ficha de doente." (Págs. 1 e Cidades C1 e C3)

Governo só gastou 14% da verba de prevenção

O Ministério da Integração Nacional gastou apenas 14% da verba destinada neste ano à prevenção de desastres climáticos. Alagoas nada recebeu. Já a Bahia, Estado do ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB), levou 57% de tudo o que foi liberado. (Págs. 1 e Cidades C3)

Foto legenda: Escombros. Moradores caminham sobre trilhos destruídos em Branquinha, uma das cidades atingidas em AL
Lei dificulta recurso de sentença trabalhista
Uma lei à espera de sanção do presidente Lula exige depósito por parte de empregadores que, para ganhar tempo, entram com recurso na Justiça do Trabalho contra decisões favoráveis a funcionários. Cada recurso implicará depósito de R$ 5.622. Se a exigência já vigorasse, só a Caixa Econômica Federal teria de depositar R$ 13 milhões. Caso o depósito fosse aplicado sobre todos os agravos de instrumento no Tribunal Superior do Trabalho, o custo atingiria R$ 820,3 milhões. (Págs. 1 e Economia B1)

112% foi o quanto cresceram os recursos trabalhistas
Universitário é quem mais usa droga e álcool no País (Págs. 1 e Vida A15)
 
ANS defende novo modelo para planos de idosos (Págs. 1 e Vida A17)
 
General americano abre crise ao disparar críticas (Págs. 1 e Internacional A12)
 
Capitalização da Petrobras corre risco (Págs. 1 e Economia B2 e B3)
 
Notas & Informações: A Petrobras política
A estatal se envolve cada vez mais nos objetivos políticos e eleitorais do grupo liderado por Lula. (Págs. 1 e A3)
------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Brasil
 
Manchete: Tragédia mobiliza o país
A destruição provocada pelas chuvas no interior de Alagoas e Pernambuco levou o governo federal a montar um grupo interministerial só para o assunto. De imediato, cada estado terá R$ 25 milhões, metade de uma primeira remessa. O grupo montou uma operação para envio de remédios e mantimentos. Os mortos são 41, com 400 desaparecidos. O presidente Lula deve visitar as áreas atingidas amanhã. (Págs. 1 e Tema do dia A2 e A3)
EUA dão dinheiro a rebeldes no Afeganistão
Os Estados Unidos estão, indiretamente, financiando grupos de rebeldes - e possivelmente até talibãs - em troca de proteção a comboios que carregam mantimentos para suas tropas no Afeganistão. A denúncia foi feita por investigadores ligados à Câmara dos Representantes. (Págs. 1 e Internacional A14)
O alto preço da impunidade
Relatório do TCU entregue ontem ao Senado revela que a cada R$ 100 de multas aplicadas por órgãos federais, apenas R$ 3,70 entram nos cofres da União. Das multas do Ibama, só 1% foi efetivamente recebido. (Págs. 1 e Informe JB A4)
Um acordo para matar baleias
Enquanto Brasil, EUA e Austrália lutam pelo fim da caça às baleias, Japão, Noruega e Islândia defendem na Comissão Baleeira Internacional, em Marrocos, um acordo que permite a continuidade da matança. (Págs. 1 e Vida, Saúde & Ciência A16)
------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense
 
Manchete: Governo movido a tragédias
Antes de serem atingidos pelas enchentes, Pernambuco e Alagoas foram vítimas da política desajustada do governo federal na prevenção de desastres. Uma análise sobre os recursos aplicados pela União entre 2004 e 2009 revela uma clara preferência à Bahia, berço eleitoral do ex-ministro da Integração Nacional Geddel Vieira Lima. Reunido em Brasília, o Gabinete de Crise anunciou uma ajuda emergencial de R$ 100 milhões, em duas parcelas, para as áreas devastadas. Só em 2010, o governo gastou R$ 3 bilhões, por meio de medida provisória, para as chamadas “ações imprevisíveis”. (Págs. 1 e 8 a 10)

Foto legenda: Cidade de Rio Largo (AL), a enchente destruiu a linha férrea: estado recebeu 0,3% do orçamento

Foto legenda: Moradores recolhem o que restou das inundações em União dos Palmares (PE): cidade está sem luz

Foto legenda: Militares descarregam avião da FAB no Recife: médicos e remédios na ajuda emergencial às vítimas
Pandora: A bolsa que custou um mandato
Por 16 votos a 3, a Câmara Legislativa cassou o mandato de Eurides Brito (PMDB). Os parlamentares entenderam que ela cometeu os crimes de formação de quadrilha, lesão ao erário e improbidade administrativa. Flagrada escondendo dinheiro na bolsa pela Operação Caixa de Pandora, Eurides está inelegível até 2022. (Págs. 1 e 25)
Reajuste: Mínimo deve chegar a R$ 550
Parlamentares que analisam a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) estudam mudanças no cálculo para o aumento do salário. A proposta é que o índice seja calculado com base na variação do PIB, o que o elevaria a 7,8%. Inicialmente, o governo fixou o valor em R$ 535,90. (Págs. 1 e 6)
General da OTAN critica Obama e pode ser demitido (Págs. 1 e 21)
 
------------------------------------------------------------------------------------
Valor Econômico
 
Manchete: Déficit da indústria triplica e chega a US$ 18 bi até maio
O déficit comercial da indústria de transformação triplicou nos primeiros cinco meses do ano e alcançou US$ 18,8 bilhões. O resultado, quando comparado aos indicadores industriais, sugere uma forte importação para complementar a oferta interna - e não substituí-la, na maioria dos casos, por enquanto. A importação da indústria aumentou 55% de janeiro a maio, em relação a igual período do ano passado, e a exportação cresceu 22% na mesma comparação, segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio.

Impulsionada pelo mercado interno aquecido, foi principalmente a importação de insumos que fez o déficit comercial da indústria sair de US$ 5,6 bilhões no ano passado para os quase US$ 19 bilhões nos cinco primeiros meses de 2010. O segmento metalúrgico foi o que apresentou maior deterioração, deixando um superávit de US$ 1,8 bilhão até maio de 2009 para um déficit de US$ 5,3 bilhões neste ano. O uso da capacidade instalada no segmento passou de 71,3% em maio do ano passado para 87,7% no mesmo mês deste ano, indicando que o déficit não veio acompanhado de uma perda de produção. As importações - que incluem aço, alumínio e ferro, entre outros insumos - saltaram de US$ 3,1 bilhões para US$ 10,8 bilhões. (Págs. 1 e A4)
Conteúdo local na disputa por Belo Monte
Os fabricantes de equipamentos que pretendem concorrer ao contrato bilionário de fornecimento para a hidrelétrica de Belo Monte reforçam seu caráter "nacional" para se credenciar à disputa. A argentina Impsa, por exemplo, rompeu acordo com a chinesa Harbin, fechado antes do leilão da usina, e agora garante que até 80% da produção das turbinas e geradores será feita no Brasil, na fábrica que a empresa possui em Pernambuco, que está sendo ampliada.
"Brasileiros" também são os franceses da Alstom, como diz o diretor de energia da empresa no Brasil, Marcos Costa. "Nossa empresa é brasileira, com origem europeia". Sem Belo Monte, nossas fábricas em Taubaté e em Rondônia ficarão ociosas por alguns anos". Na segunda-feira, as duas empresas apresentaram propostas, a pedido da Eletrobras e Eletronorte. (Págs. 1 e B7)
Atraso de voos cresce, mesmo com punições
A entrada em vigor de regras mais severas que punem as companhias aéreas que atrasam ou cancelam voos coincidiu com um aumento desses problemas nos quatro principais aeroportos do país, como mostra levantamento da Infraero, feito a pedido do Valor. A pesquisa comparou os dias 13 a 19 deste mês com a semana anterior. Em alguns casos, quadruplicou a quantidade de voos com atraso superior a uma hora e praticamente dobrou o número de cancelamentos. A Agência Nacional de Aviação Civil enviou ofício a uma companhia aérea nacional e nove estrangeiras comunicando a falta de adequação às novas normas, como ausência de informação aos passageiros. (Págs. 1 e B4)
Foto legenda: Aquisição e liderança
A Drogaria São Paulo assumiu a liderança do setor de farmácias no país ao comprar a rede Drogão. A aquisição aumenta o número de pontos de venda para 326 e, segundo o presidente Gilberto Ferreira,
"completa perfeitamente o mix de lojas, reforçando a presença da rede nos shoppings". (Págs. 1 e B1)
Crise no DF apressa decisão sobre pedido de intervenção
O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Cezar Peluso, decidiu marcar para o dia 30 o julgamento do pedido de intervenção no Distrito Federal. A decisão foi tomada ontem, em meio à crise que inviabiliza a prestação de serviços básicos na capital da República. O governador interino, Rogério Rosso (PMDB), enfrenta greves de policiais civis, que pedem reajuste de 33%, e motoristas de ônibus, por reajuste imediato na tarifa.

Depois de assumir o compromisso de não concorrer à reeleição, Rosso lançou-se candidato, rompendo o acordo firmado pelo PMDB com o petista Agnelo Queiroz. A Lei Ficha Limpa deixou indefinida a candidatura do ex-governador Joaquim Roriz. (Págs. 1 e A9)
Anunciante tem 6,5 segundos para passar sua mensagem
As pessoas dispensam, em média, 6,5 segundos de atenção a um anúncio nos meios de comunicação em geral, com destaque para a televisão. É o tempo que o consumidor demora para entender a publicidade e rejeitar ou aceitar a mensagem - isso equivale a um terço do tempo que se gastava nos anos 80, revela pesquisa da agência Draftfcb, do grupo Interpublic, apresentada no festival de Cannes, o maior evento de publicidade no mundo.

"O que existe nesses seis segundos e meio é uma única e curta janela de oportunidade para se mandar o recado", diz Michael Fassnach, diretor de estratégia global da agência. O debate enfocou as opções para a publicidade mais eficiente. O caminho é a inovação, afirma Malcolm Hunter, da Aegis Midia. (Págs. 1 e B6)
Grandes bancos franceses começam a acumular prejuízos com a crise grega (Págs. 1 e C8)
 
Comércio de diamantes continua envolto em guerra sangrenta (Págs. 1 e B9)
 
Arrecadação bate novo recorde
A arrecadação tributária federal somou R$ 61,1 bilhões no mês passado, resultado recorde para os meses de maio. No ano, a receita chegou a R$ 312,4 bilhões, um aumento real de 13,27%. (Págs. 1 e A3)
Meta de inflação fica em 4,5%
Pelo sexto ano consecutivo, o CMN manteve a meta de inflação em 4,5% para 2012, com tolerância de dois pontos percentuais para mais ou menos. A TJLP também foi mantida em 6% ao ano para o terceiro trimestre. (Págs. 1 e A6)
Risco de recidiva
As vendas de casas usadas nos EUA contrariaram as previsões e caíram em maio, após o fim do plano de estímulo do governo, e ampliaram os receios de uma "recaída recessiva". (Págs. 1 e A11)
Calvário da Busscar
Recusa dos bancos credores em financiar US$ 115 milhões para produção de um lote de ônibus que seria vendido à Guatemala agrava a crise da Busscar, paralisada desde o início do ano. (Págs. 1 e B8)
´Private equity´ na reciclagem
O fundo de investimento em participações CleanTech, gerido pela Stratus, assumiu 8,5% do capital da Unnafibras, que transforma garrafas PET em fibras de poliéster para a indústria de tecidos. (Págs. 1 e B8)
Retomada dos investimentos
Governo cearense está investindo neste ano R$ 5,4 bilhões em vários projetos de infraestrutura, como o porto de Pecém, que vai receber R$ 590 milhões, diz Erasmo Pitombeira, da Ceará Portos. (Págs. 1 e Caderno especial)
Chuva afeta usinas do NE
As chuvas que atingiram o Nordeste inundaram plantações de cana e usinas. Em Pernambuco, a moagem deve ser 6% menor na temporada que começa em setembro e os prejuízos chegam a R$ 70 milhões. (Págs. 1 e B11)
Ações multiplicam milionários
Apesar da crise internacional, a reação do mercado de ações no ano passado fez o número de milionários no mundo aumentar 17%, para 10 milhões de pessoas. A riqueza nas mãos desses milionários cresceu 19%. (Págs. 1 e D2)
Discurso ético
Reflexo dos escândalos corparativos do início da década, a adoção de juramentos em defesa de padrões éticos se espalha nas escolas de negócios, mas adesão de alunos é pequena. (Págs. 1 e D10)
Ideias
Ana Cristina Barros

Proposta de novo Código Florestal traz anistia ao desmatamento passado e liberação prévia para o desmatamento futuro. (Págs. 1 e A12)
Ideias
Martin Wolf

É otimismo demais acreditar que, nas atuais circunstâncias, um aperto fiscal coordenado vai reforçar a recuperação. (Págs. 1 e A13)
------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas
 
Manchete: Lista suja do TCU pega mais de 200 prefeitos em Minas
A relação de políticos e agentes públicos que tiveram as contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas da União nos últimos oito anos chega a 369 no estado e é liderada por ex-governantes de municípios. Pelo menos oito ainda estão no exercício do mandato. A rejeição de contas é um dos motivos de inelegibilidade previstos na Lei Ficha Limpa, que já está valendo para as eleições deste ano. Caberá aos juízes eleitorais decidir sobre o veto às candidaturas. (Págs. 1, 3 e 4 e editorial, na 6)
Patrus pede bênção de Dilma
Petista fecha com a candidata à Presidência para ser o vice de Hélio Costa (Págs. 1 e 8)
PR racha e favorece Anastasia
Partido faz aliança com PMDB, mas 58 prefeitos se rebelam e apoiam tucano (Págs. 1 e 5)
Chuvas: Com 41 mortos, Nordeste vai receber R$ 100 milhões (Págs. 1, 10 e 11)
 
UFMG: Definido vestibular que terá Enem como 1ª etapa
É preciso se inscrever nas duas seleções. Confira o tira-dúvidas sobre o novo formato. (Págs. 1 e 27)
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora
 
Manchete: Desolação no Nordeste
Enchentes em Alagoas e Pernambuco matam dezenas de pessoas, desabrigam milhares e mobilizam o país (Págs. 1, 4 e 5)

Foto legenda: No município alagoano de União dos Palmares, cerca de 500 pessoas estavam desaparecidas até ontem e outras centenas tiveram as suas casas destruídas
Preço mínimo: Valor do trigo sofre redução histórica
Surpreendidos pela medida, produtores vão a Brasília em busca de negociação. (Págs. 1 e 21)
------------------------------------------------------------------------------------
 
 
Repasse: se nos anos 40 existisse internet, Hitler não teria assassinado milhões de judeus.
 
Buya neles!!!
 
 
 
 
- Buya




Buya ©.Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta
página em qualquer meio de comunicação.