- Links
» Página Inicial
» Estadão
» Revista Veja
» Revista Época
» Folha de São Paulo
» Revista Isto É
» Revista Carta Capital
» Prefeitura de Pirassununga
-
BALAIO DO BUYA
Jornal Virtual
-
» Contato
 
 
- Balaio do Buya
Dizimista 185

 

 
 
Edição nº 185, de 30 de junho  de 2010
 
O mundo mágico da Internet
O site mais visitado da região
O Dizimista– Primeiro jornal virtual de Pirassununga
SINOPSES - RESUMO DOS JORNAIS
 
30 de junho de 2010
O Globo
 
Manchete: Gastos levam contas públicas ao pior resultado em 18 anos
Mau desempenho do INSS foi o que mais pesou para o rombo em maio

A situação das contas públicas se deteriorou drasticamente em maio. O superávit primário - economia para pagar juros da dívida - de todo o setor público despencou de R$ 19,7 bilhões em abril para R$ 1,4 bilhão no mês passado. O pior desempenho foi da União, que teve déficit de R$ 1,431 bilhão, o maior em 18 anos para o mês. O principal responsável pelo rombo foi a Previdência. Os números gerais só não foram piores porque os estados e as empresas estatais fizeram a sua parte e pouparam. Segundo especialistas, o crescimento da economia e a elevação da receita com impostos estão compensando boa parte dos aumentos de gastos e, só por isso, o quadro fiscal não aparenta ser tão grave. "A atual política fiscal estimula o crescimento a curto prazo, mas o inibirá a médio e longo. Mais gastos correntes e de pessoal induzem a mais juros e câmbio valorizado", alertou o economista Roberto Padovani. (Págs. 1 e 25)
Dilma propõe o que Lula nunca fez
Candidata do Planalto, Dilma Rousseff propôs zerar impostos sobre investimentos – que Lula aumentou. José Serra disse que o BC tem de estar afinado com a equipe econômica, mas que não tirará a autonomia do órgão. (Págs. 1, 4 a 9, Elio Gaspari e Míriam Leitão)
Anvisa restringe anúncio de alimentos (Págs. 1 e 33)
 
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo
 
Manchete: Patrocínio para viagem de médico será limitado
Laboratórios poderão pagar despesas apenas em alguns casos, decide conselho

O Conselho Federal de Medicina vai limitar viagens de médicos para congressos com despesas pagas pela indústria farmacêutica, relata Cláudia Collucci. Estará liberado só quem der palestras ou cursos nos eventos.

O presidente do CFM, Roberto D´ Ávila, afirma que a decisão é um caminho sem volta. Se não houver acordo com os laboratórios, ela virá em forma de resolução. Segundo D´Ávila, a ideia é criar regras transparentes.

Estudos mostram que, ao oferecerem favores, determinadas indústrias obtêm vantagens na prescrição de produtos. Médicos concordam em evitar abusos, mas temem prejuízos à atualização profissional. (Págs. 1 e C8)

Análise

Com atraso de uma década, o CFM começa a criar mecanismos que tomam as relações mais transparentes e reduzem o peso de fatores extracientíficos, aponta Hélio Schwartsman. (Págs. 1 e C8)
Foto legenda: Novo Castigo
Com água na altura do peito, morador caminha em Barreiras (PE), outra vez alagada após cheia do rio Una; total de mortes em AL e PE chegou a 57 (Págs. 1 e C4)
Anvisa incluirá advertência em propagandas de alimentos
Por resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, daqui a seis meses, as propagandas de alimentos com alto teor de açúcar, sódio e gorduras terão de veicular alertas sobre os potenciais problemas à saúde que seu consumo pode causar.

Em nota, a associação da indústria do setor disse que vai tentar suspender a resolução na Justiça. (Págs. 1 e C9)
Burocracia custa R$ 46 bi anuais ao país, afirma a Fiesp
O custo anual da burocracia para as empresas brasileiras, calculado pela Fiesp (federação das indústrias paulistas), é de aproximadamente R$ 46,3 bilhões, relata Fernando Canzian.

Boa parte do gasto se destina a demandas tributárias dos governos federais, estaduais e municipais. Para a Fiesp, o PIB per capita do país poderia crescer 17% com simplificações. (Págs. 1 e B1)

Análise
Para o especialista João Piquet Carneiro, o Brasil é uma ilha de empreendedorismo cercada de exigências do governo. (Págs. 1 e B3)
Irmão de Álvaro Dias decide se aliar a petistas
Osmar Dias (PDT) decidiu concorrer ao governo do Paraná, como aliado de Dilma Rousseff (PT). Ele dizia que não seria candidato se seu irmão Álvaro (PSDB) fosse indicado vice de José Serra. A indicação tucana abriu crise com o DEM. (Págs. 1 e A4)
carta à alta sociedade
Em encontro com socialites e empresárias, Dilma Rousseff afirmou que o PT não pode "inventar moda", relata Mônica Bergamo. Para participantes, ela é "inteligente, positiva e sedutora", mas a maioria deve votar em José Serra. (Págs. 1 e A8)
Fernando de Barros e Silva: Grevista na USP promove uma escalada insana
Trata-se de uma escalada insana - a reitoria, a creche, o centro de computação. Não há mais como separar reivindicação de sabotagem. O sindicato inventou um grevismo profissional. (Págs. 1 e A2)
Consumidor de baixa renda vai pagar menos na conta de luz (Págs. 1 e Boa Notícia, pág. B3)
 
Editoriais
Leia "Afinidades fisiológicas", sobre a propaganda partidária na TV; e "Lula lá fora", acerca das pretensões internacionais do presidente brasileiro. (Págs. 1 e A2)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo
 
Manchete: Deputados querem cancelar 55 mil demissões incentivadas
Relator diz que 15 mil servidores foram ´coagidos´ a sair em 96; outra iniciativa recontrata 40 mil de estatais

Dois projetos em tramitação na Câmara propõem reintegrar servidores públicos 14 anos após terem aderido a programas de demissão voluntária, informam as repórteres Denise Madueño e Lu Aiko Otta. O primeiro projeto beneficia 15 mil ex-funcionários da administração direta, de autarquias e de fundações. Considerando-se salário médio de R$ 7.500, a proposta representaria gasto extra de R$ 1,4 bilhão por ano. O outro projeto permite recontratar 40 mil ex-funcionários
“arrependidos” que trocaram o trabalho em estatais como Banco do Brasil e Petrobrás. Os defensores das iniciativas argumentam que os servidores foram coagidos a aderir aos programas de demissão. O relator do primeiro projeto na Comissão do Trabalho, Sebastião Bala Rocha (PDT-AP), disse que, em 1996, houve uma "sanha demissionária" na administração, iludindo os servidores e induzindo-os a tomar decisão precipitada. O autor do projeto, Leonardo Picciani (PMDB-RJ), disse que o governo não forneceu os empréstimos e o treinamento prometidos no programa. (Págs. 1 e Nacional A4)

Aposentadoria integral custa R$ 2,4 bi

Os gastos do governo com o pagamento de aposentadorias podem ter um crescimento de pelo menos R$ 2,4 bilhões por ano caso o Congresso aprove a Proposta de Emenda à Constituição nº 46. A PEC, em tramitação na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, restaura a aposentadoria integral para juízes, procuradores e defensores públicos. O privilégio foi derrubado na reforma da Previdência. "O problema maior é que regressamos a um cenário anterior à reforma, passando a conceder um benefício para um grupo que já está numa posição mais alta", diz o economista do Ipea Marcelo AbiRamia Caetano. (Págs. 1 e Economia B3)
DEM faz convenção e PSDB tenta salvar aliança
Na véspera da Convenção Nacional do DEM, seu principal aliado, o PSDB buscava ontem uma saída para salvar a aliança. Os tucanos resistiam à ideia de rever a indicação do senador Álvaro Dias (PR) para vice do candidato José Serra. O DEM insistia que o cargo ficasse com um nome do partido, mas estava disposto a ceder. Depois de dois dias de discussões, PSDB e DEM conseguiram avançar apenas na direção de um acordo mínimo. A aliança entre os dois partidos está praticamente selada e será anunciada durante a convenção, que ocorre hoje, em Brasília. (Págs. 1 e Nacional A6)
Tarifa máxima do trem-bala será de R$ 199
O Tribunal de Contas da União fixará em R$ 199 a tarifa máxima a ser cobrada aos passageiros do trem-bala no trajeto entre Rio e São Paulo. Vencerá a concorrência para construção e operação quem oferecer a menor tarifa. O relatório de análise dos estudos de viabilidade do projeto, de R$ 30 bilhões, será votado hoje pelo TCU. Uma das principais propostas que serão analisadas proíbe que o vencedor peça aumento de tarifa se o número de passageiros for menor do que o esperado. (Págs. 1 e Economia B1)
Propaganda de alimentos terá alerta
Em seis meses, propagandas de alimentos com alto teor de gordura saturada ou trans -, com grande quantidade de sal ou de açúcar e bebidas com baixo poder nutritivo passarão a ser veiculadas com frases de advertência sobre os males à saúde que podem provocar. Publicada pela Anvisa, a resolução é considerada um avanço para saúde pública, mas vem numa versão mais branda do que a proposta inicial, que previa a veiculação só entre 20h e 6h. (Págs. 1 e Vida A17)
Vetada venda de carro que ´faltou´ a recall
O Denatran vai criar em até três meses um sistema integrado de informações sobre recall de veículos. A ideia é impedir a venda de veículos que não compareceram ao recall quando convocados - e assim estimular o cumprimento à exigência. O Denatran afirma que as informações estar no disponíveis apenas para as autoridades de trânsito. (Págs. 1 e Economia B14)
Achado sangue no carro e no sítio do goleiro Bruno (Págs. 1 e Cidades C1)
 
Morador que voltar à área de risco em PE será preso (Págs. 1 e Cidades C3)
 
Dados de EUA e China derrubam mercados (Págs. 1 e Economia B8)
 
Presidente mexicano pede união contra narcotráfico (Págs. 1 e Internacional A11)
 
Notas & Informações: A Noruega tropical de Lula
No FT, o presidente fala como se tivesse dado o melhor de si para mudar o jogo político. (Págs. 1 e A3)
------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Brasil
 
Manchete: Dilma consolida vantagem
Uma nova pesquisa de intenções de voto para a Presidência mostra que a candidata do PT, Dilma Rousseff, está consolidando a vantagem sobre o rival, José Serra (PSDB). Segundo o levantamento do Vox Populi/Rede Bandeirantes, a petista está cinco pontos (40%) à frente do tucano (35%), tendência já detectada em outra sondagem. Marina Silva (PV) aparece com 9%. (Págs. 1 e País A4)
Foto legenda: Dificuldade
A prova de resistência dos moradores do sertão pernambucano não acaba. Ontem, depois de terem passado dias limpando suas casas, os residentes de Palmares viram a lama cobrir tudo de novo. (Págs. 1 e País A6)
Acordo garante reajuste para a PM
Foi aprovado ontem o aumento de 60,32% nos salários da PM, Polícia Civil, Bombeiros e do pessoal da Administração Penitenciária. O reajuste, a partir de janeiro próximo, será em 48 parcelas. Para o governador Sérgio Cabral, resgatou-se o respeito aos servidores. O comandante da PM, Mário Sérgio Duarte, disse que houve "justiça". (Págs. 1 e Cidade A13)
Combate ao trabalho infantil
Quatro em cada 100 crianças e jovens entre 5 e 17 anos exercem algum tipo de trabalho no estado do Rio. Para combater esse tipo de exploração, será lançada hoje a campanha Cartão Vermelho para o Trabalho Infantil. (Págs. 1 e tema do dia A2 e A3)
Dia D para o DEM e o PSDB
O DEM fará hoje sua Convenção Nacional, em Brasília, sem que tenha conseguido indicar até ontem à noite o vice de José Serra (PSDB) à Presidência. Caciques dos dois partidos estiveram reunidos durante todo o dia. (Págs. 1 e País A5)
------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense
 
Manchete: União barra aumento de R$ 7 bilhões ao Judiciário
O secretário de Tesouro Nacional, Arno Augustin, acionou o alerta: o aumento salarial de 56% em média aos 100 mil servidores dos tribunais federais causará um grave desequilíbrio nas contas públicas. “Normalmente a gente evita comentários (sobre outros Poderes), mas a preocupação fiscal neste caso é muito grande. Por isso acho necessário alertar o país”, disse. A proposta de reajuste salarial no Judiciário, enviada pelo Supremo Tribunal Federal ao Congresso, já passou em uma de três comissões da Câmara e ainda vai a plenário. Causará um impacto anual de R$ 7 bilhões no orçamento e poderá provocar um efeito cascata para outras categorias de servidores. Ramiro López, representante dos servidores do Judiciário, diz que a reivindicação se justifica. “A proposta levou em conta a Lei de Responsabilidade Fiscal e outras questões. Está tudo de acordo. Achamos que o pedido é justo.” (Págs. 1 e 11)

…Mas libera R$ 285 milhões para contratar 6,6 mil

Acordo no Congresso autoriza vagas nos Ministérios da Saúde, do Planejamento e da Educação (Págs. 1 e 12)
Transporte: Se quiser economizar, vá de avião
As passagens de ônibus interestaduais ficam 2,13% mais caras amanhã. Na comparação de preços, viajar de Brasília para Belo Horizonte ou para o Rio de Janeiro é mais barato por avião do que por terra. (Págs. 1 e 14)
------------------------------------------------------------------------------------
Valor Econômico
 
Manchete: Tesouro inova para elevar capital de estatais em bolsa
O Tesouro está funcionando como uma espécie de holding e buscando uma estrutura ótima para suas operações societárias. Ele terá de levantar pelo menos R$ 20 bilhões para capitalizar suas estatais na bolsa, se consideradas as previsões para aumento de patrimônio apenas de Petrobras, Telebrás, Eletrobrás e Banco do Brasil.

Na avaliação de profissionais do mercado financeiro, a União faz uma engenharia financeira inédita. Tornaram-se comuns operações de conversão de créditos em participações ou de uso de ativos de determinadas empresas para aplicar em outras. (Págs. 1 e B9)
Seae sugere forte restrição à Brasil Foods
Em um de seus mais duros pareceres, a Secretaria de Acompanhamento Econômico (Seae) do Ministério da Fazenda recomendou o licenciamento das marcas Sadia ou Perdigão, por cinco anos, para que a união entre as duas empresas seja aprovada. Outra alternativa é a venda de um bloco grande de marcas, que incluiria as famosas, como Batavo, Doriana, Claybom e Delicata. As sugestões serão enviadas ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), que fará o julgamento final do negócio. Segundo a Seae, o Cade pode impor ambas as restrições, optar por uma delas ou adotar uma outra alternativa. Para a Seae, a compra da Sadia levou a concentrações elevadas em vários mercados e, por isso, as empresas terão de ceder marcas e produtos. (Págs. 1 e D3)
Sul-africana quer investir no Brasil
Maior fabricante de medicamentos do hemisfério Sul, a empresa farmacêutica sul-africana Aspen Pharma quer replicar seu modelo de negócios no Brasil, onde controla a Cellofarm, que tem fábrica em Vitória (ES) desde 2008. Em Durban, uma das sedes da Copa da África do Sul, seu presidente, Stephen Saad, explicou as razões para investir no mercado brasileiro dizendo ao Valor que os dois países são muito parecidos no clima, nos dois existe grande mistura entre pessoas pobres e ricas e as economias estão crescendo. Há semelhanças até nas doenças que afetam as populações dos dois países.

Com nove fábricas e faturamento de US$ 1,1 bilhão no ano passado, a Aspen fabrica genéricos, medicamentos vendidos fora do balcão e itens com marcas. Num país com elevados níveis de contaminação pelo vírus HIV, um dos carros-chefes na África do Sul são os antirretrovirais. (Págs. 1 e B1)
Foto legenda: A jato
Os negócios no Brasil e no México vão liderar a expansão da DHL na América Latina, região-chave para o grupo. No mundo, será investido 1,4 bilhão de euros este ano, diz o presidente, Frank Appel. (Págs. 1 e B4)
Bancos voltam a inquietar os mercados
A aversão a riscos teve uma ascensão dramática ontem, reduzindo o rendimento dos títulos do governo americano para mínimos históricos e prejudicando ações, commodities e o euro diante das grandes preocupações com a recuperação econômica mundial e a saúde do sistema bancário europeu.

Temores de que o Banco Central Europeu (BCE) esteja atenuando cedo demais o apoio emergencial concedido aos bancos da zona do euro desencadearam quedas acentuadas. Executivos de bancos alertaram que a decisão do BCE, de não renovar os empréstimos de um ano de € 442 bilhões às instituições financeiras, que vencem amanhã, reavivou preocupações sobre a capacidade de alguns bancos obterem acesso aos mercados de crédito em busca de recursos. (Págs. 1, C2, C3 e D2)
Kinross amplia produção de ouro em MG
Com a forte valorização do ouro nos últimos anos, as principais mineradoras em operação no Brasil anunciam ou trabalham em projetos de expansão das suas lavras. A canadense Kinross acaba de fechar negociações com o governo de Minas Gerais para viabilizar investimentos de cerca de R$ 950 milhões para expandir em 17 toneladas anuais, até 2012, a produção da sua mina de Paracatu, no noroeste do Estado.

O protocolo de entendimentos entre as duas partes está para ser assinado nos próximos dias e prevê o diferimento por parte do Estado do pagamento de ICMS em várias etapas do projeto, incluindo importação de insumos não produzidos em Minas e a compra de máquinas e equipamentos. (Págs. 1 e B7)
Alimento orgânico com semente comum
Os alimentos orgânicos produzidos no Brasil são gerados a partir de sementes que, em sua maioria, receberam aplicação de defensivos agrícolas. O paradoxo se explica porque não existe produção em larga escala desses insumos no país. Além disso, segundo Paulo Christians, diretor-geral da empresa holandesa de sementes Bejo, a semente convencional custa, em média, a metade do preço da semente orgânica.

Para o Idec, o consumidor tem o direito de conhecer a procedência de seu alimento, mesmo que os resíduos químicos sejam mínimos. Os produtores terão até dezembro de 2013 para se adequar à nova legislação, que passará a exigir sementes orgânicas para esse tipo de produção. (Págs. 1 e B11)
Danone aposta na baixa renda para crescer (Págs. 1 e B9)
 
Grécia avalia congelar salários no setor privado por três anos (Págs. 1 e A11)
 
Goiás reforça a presença da indústria na economia local (Págs. 1 e Valor Estados)
 
Engajamento verde
Apoio entre o empresariado à candidatura de Marina Silva (PV) à Presidência reúne desde ex-colaboradores de Lula até antigos simpatizantes do PSDB. (Págs. 1 e A14)
Autorregulação móvel
Operadoras de celular e empresas fornecedoras de conteúdo vão uniformizar procedimentos para aumentar as vendas de serviço e solucionar problemas. (Págs. 1 e B3)
Copa pelos ares
Companhias áreas como a Azul, Gol e TAM reduzem os preços das passagens nos dias e horários dos jogos da seleção brasileira na Copa da África. (Págs. 1 e B6)
Fundos de investimentos
Com patrimônio de R$ 1,5 trilhão e 10,5 milhões de cotistas, o setor de fundos de investimento vive seu melhor momento. “Temos hoje a sexta maior indústria do mundo”, diz Marcelo Giufrida, presidente da Anbima. (Págs. 1 e Caderno Especial)
Areia nos negócios
A reboque do crescimento da construção civil, a A pretende aumentar em dez vezes o volume de areia transportada por trilhos entre o interior paulista e a capital. (Págs. 1 e B8)
Avanço da cana
Estuda da Conab mostra que o avanço da cana no Centro-Sul vem sendo feito principalmente em áreas de pasto, mas também em substituição a soja, milho e laranja. (Págs. 1 e B11)
Avanço dos plásticos
Em uma década, enquanto a emissão de cheques caiu à metade, as transações com cartão de crédito cresceram quase 350%. “Muita coisa está mudando para melhor”, diz o presidente da Abecs, Paulo Rogério Caffarelli. (Págs. 1 e Caderno Especial)
Ideias
Cristiano Romero

Desequilíbrios no mercado de trabalho são pontuais e não ameaçam o crescimento da economia no curto prazo. (Págs. 1 e A2)
Ideias
Martin Wolf

Déficits não podem ser reduzidos sem que se resolva o excesso de endividamento dos setores privados. (Págs. 1 e A13)
------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas
 
Manchete: Pistas reforçam suspeitas sobre o goleiro Bruno
Investigado pelo desaparecimento da ex-namorada Eliza Samúddio, com quem teria um filho, o jogador do Flamengo viu sua situação se complicar. Perícia no Range Rover dele encontrou fios de cabelo e manchas semelhantes às de sangue. O material será submetido a exames de DNA. Também no sítio do atleta, na Grande BH, foram localizados respingos parecidos com sangue. Hoje deve ser concluído o cruzamento de dados dos telefones de Bruno, Eliza e de uma amiga dela, o que poderá confirmar se ela esteve no sítio do goleiro. (Págs. 1, 21 e 22)
Eleições: DEM já admite perda do vice de Anastasia
Nome que comporá a chapa como governador será anunciado hoje. Mesmo os democratas, que pleiteavam a vaga, dão como certa a indicação de Alberto Pinto Coelho (PP), mas ficam na coligação. (Págs. 1 e 6)
------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio
 
Manchete: É preciso organizar os donativos
Governador faz apelo para que a população separe as doações por itens. Triagem nos postos retarda entrega (Pág. 1)
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora
 
Manchete: China e EUA provocam pessimismo nas bolsas
Dados da economia americana e as perspectivas chinesas elevam temores sobre recuperação global e causam queda de 3,5% na Bovespa. (Págs. 1, 18 e 24)

Paul Krugman: Os sinais da 3ª depressão (Pág. 1)
Volta à Guerra Fria: Espionagem abre crise internacional
Russos reagem à prisão de supostos espiões nos EUA, em caso de intriga entre os dois países. (Págs. 1 e 26)
------------------------------------------------------------------------------------
Deu em O Globo
Total aplicado irregularmente foi de R$ 150 milhões
Jailton de Carvalho:
Novo relatório da Controladoria-Geral da União (CGU) aponta o desvio de mais R$ 44 milhões em obras e contratos do Distrito Federal firmados na gestão do ex-governador José Roberto Arruda, principal alvo da Operação Caixa de Pandora.
Com a conclusão, sobe para R$ 150 milhões o montante desviado ao longo do governo Arruda, só de verbas recebidas do governo federal. A Polícia Federal e o Ministério Público Federal suspeitam que parte do dinheiro abasteceu o mensalão do DEM, esquema de pagamento de propina a aliados do governo local supostamente chefiado por Arruda, que perdeu o mandato e ficou dois meses preso.
O relatório aponta indícios de direcionamento de licitação, de superfaturamento e sobrepreço em obras e serviços, que vão da construção do metrô à compra de medicamentos.
Num dos contratos relacionados à construção de duas estações do metrô, os fiscais da Controladoria constataram sobrepreço de R$ 6 milhões. O preço para a contratação de um servente seria, pelos cálculos da Controladoria, dez vezes superior ao valores pagos nas obras do metrô em São Paulo.
 
29 de junho de 2010
“A novela do PSDB sobre o vice de Serra é uma dessas histórias inacreditáveis que não se consegue entender como avança, nem como cada desdobramento parece ser pior que o momento anterior. Os eleitores de Dilma Rousseff não param de dar risada”
 
 
Repasse: se nos anos 40 existisse internet, Hitler não teria assassinado milhões de judeus.
 
Buya neles!!!
 
 
 
 
- Buya




Buya ©.Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta
página em qualquer meio de comunicação.