- Links
» Página Inicial
» Estadão
» Revista Veja
» Revista Época
» Folha de São Paulo
» Revista Isto É
» Revista Carta Capital
» Prefeitura de Pirassununga
-
BALAIO DO BUYA
Jornal Virtual
-
» Contato
 
 
- Balaio do Buya
Dizimista 274

 

 
 
Edição nº 274, de 05 de outubro de 2010
 
 
O mundo mágico da Internet
 Pirassununga – SP
O site que está bombando na rede
 
O Dizimista– Primeiro jornal virtual de Pirassununga
SINOPSES - RESUMO DOS JORNAIS
05 de outubro de 2010
O Globo
 
Manchete: Eleições 2010: Dilma fará ofensiva religiosa para atrair voto conservador
PV pode demorar 15 dias para decidir apoio; Serra diz que Aécio é ´pessoa-chave´

Após a decepção com a necessidade de segundo turno, a campanha da candidata petista, Dilma Rousseff, iniciou ofensiva para conter a sangria de votos evangélicos e católicos registrada na reta final do primeiro turno, Dilma e aliados reconheceram que agiram tarde contra boatos na internet afirmando que ela era contra a vida e a favor do aborto. Dilma terá ajuda de governadores e senadores eleitos, chamados às pressas a Brasília. "Foi uma campanha perversa, com inverdades sobre o que penso", afirmou Dilma. Em busca dos votos de Marina Silva, José Serra (PSDB) disse esperar aproximação com o PV, que integrou seu governo. Mas a decisão do PV pode levar 15 dias.
Serra foi ao enterro do pai do ex-governador de Minas, Aécio neves, eleito senador, e disse que o mineiro é "pessoa-chave" no 2º turno. (Págs. 1 e 3 a 12)

Foto legenda: Dilma ao lado de Michel Temer: "Foi uma campanha perversa, lançaram inverdades." (Pág. 1)

Foto legenda: Serra com Aécio Neves, no velório do pai do senador eleito por Minas Gerais. (Pág. 1)

Cabral: ´Não disputo mais nada´

Um dia após ser reeleito com 66% dos votos válidos, o governador do Rio Sergio Cabral disse que a eleição deste ano foi a última que disputou. "Juro por Deus. Falei para minha mulher, meus filhos", afirmou. Cabral disse que vai se dedicar a campanha de Dilma e prometeu investir R$ 1 bilhão em estradas no Rio. (Págs. 1 e 25)

Especialistas criticam pesquisas

Os erros dos institutos de pesquisa trouxeram à tona debate sobre a capacidade que a divulgação de dados de intenção de voto tem de alterar a decisão do eleitor. Institutos e especialistas falam nas causas para os erros: entre elas, os altos índices de abstenção, não contabilizados nos levantamentos. (Págs. 1 e 16)

PT deve presidir Câmara; e o PMDB, o Senado

0 PT saiu das urnas com a maior bancada da Câmara: 88 deputados. Com este, número, deve ganhar a presidência da Casa. Já o Senado deverá ser comandado pelo PMDB: o partido elegeu o maior número de senadores, 20.(Págs. 1 e 19)

O silêncio de Lula

0 presidente Lula, que fez em média dois comícios por dia em favor de Dilma no primeiro turno, completou ontem 24 horas sem qualquer comentário sobre o resultado das eleições. Coube ao ministro da Articulação Política, Alexandre Padilha, falar por ele: "0 presidente está muito feliz." (Págs. 1 e 13)

Senado: fichas-sujas vencem e ameaçam eleição no PA. (Págs. 1 e 21)

Rio, cidade partida também na hora do voto. (Págs. 1 e 14)

Genoino deixará Câmara, mas mensaleiros voltam. (Págs. 1 e 18)

Aberta ação que pode cassar Tiririca, o mais votado. (Págs. 1 e 21)

Nesta edição, a lista dos deputados federais e estaduais eleitos pelo Rio. (Págs. 1, 23 e 26)
IOF sobe para que dólar deixe de cair
0 ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou ontem que dobrou de 2% para 4% o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) para aplicações de investidores estrangeiros no Brasil. 0 objetivo é segurar a entrada de recursos no país e, assim, evitar que o real fique excessivamente valorizado, o que prejudica exportações, o dó1ar fechou a R$ 1,692, em a1ta de 0,65%. (Págs. 1 e 33)
Nobel para o pai do bebê de proveta
0 britânico Robert Edwards; de 85 anos, ganhou ontem o Prêmio de Medicina por ter inventado a técnica de fertilização in vitro, em 1978. 0 método, já gerou 4 milhões de pessoas em todo o mundo e revolucionou a medicina. 0 Vaticano criticou a escolha. (Págs. 1 e 40)
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo
 
Manchete: PT já discute retirar aborto do programa de governo
Presidente 40 Eleições 2010
Para petistas, exploração do tema fez Dilma Rousseff perder votos

O PT discute retirar de seu programa a defesa do aborto. Para petistas e aliados do PMDB, a exploração do tema na internet fez a candidata Dilma Rousseff perder votos entre eleitores religiosos - que migraram para a evangélica Marina Silva - e levou ao segundo turno contra José Serra (PSDB).

Dilma defendia a legalização, mas hoje se diz pessoalmente contra. Segundo José Eduardo Cardozo, que coordena a campanha ao Planalto, a posição pró-aborto não é unânime no PT. "Foi um erro ser pautado internamente por algumas feministas", declarou André Vargas, secretário de Comunicação do partido.

Ontem, a CNBB (Confederação Nacional dos Bispos do Brasil) entrou no debate e lançou campanha "em defesa da vida." (Págs. 1 e Eleições 2010)
´Dilmistas´ terão maioria para mudar Constituição
O resultado da eleição vai possibilitar a um eventual governo Dilma Rousseff (PT) mudar com folga a Constituição, tarefa que exige ao menos 60% do apoio de senadores e deputados.

Os partidos que integram o bloco governista controlarão 73% de cada uma das Casas. Em caso de vitória de José Serra(PSDB), ele terá de negociar apoio de siglas como o PMDB. (Págs. 1 e Esp. 12)
Tucanos escalam FHC para buscar apoio de Marina
O PT e o PSDB começaram articulações para tentar atrair o apoio de Marina Silva (PV). Os tucanos escalaram o ex-presidente FHC para o contato. Os petistas atribuíram a tarefa ao baiano Jaques Wagner e aos acrianos Tião e Jorge Viana.

Marina defendeu que uma "convenção nacional" do PV, a ser convocada em até 15 dias, decida sobre o segundo turno. (Págs. 1 e Esp. 4)
Dólar baixo faz governo dobrar imposto para estrangeiros
Contra o movimento de valorização do real, o ministro Guido Mantega anunciou o aumento da alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras de 2% para 4% para estrangeiros que atuam no mercado de renda fixa brasileiro. A alíquota continua em 2% para investimentos na Bolsa. (Págs. 1 e B1)

A Bovespa começa a negociar papéis de empresas como Apple e Google via fundos de investimento. (Págs. 1 e B5)
Procuradoria apura se ´fila do passaporte´ na PF foi furada
A Procuradoria investiga se a Polícia Federal de SP favoreceu despachantes na emissão de passaportes durante pane. Em testes, o serviço foi agendado nos dias em que estava suspenso. A PF nega privilégios. (Págs. 1 e C1)
Ciência: Prêmio Nobel de Medicina vai para ´pai´ dos bebês de proveta. (Págs. 1 e A14)
 
Eleições 2010: Tiririca vai ter de provar na Justiça que sabe ler e escrever. (Págs. 1 e Esp. 13)
 
Editoriais
Leia "Nova oportunidade", sobre o segundo turno da eleição presidencial; e "Inédita maioria", acerca da composição partidária do Congresso. (Págs. 1 e A2)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo
 
Manchete: Marina vai definir apoio no segundo turno em até 10 dias
Terceira colocada na eleição quer discutir propostas de Dilma e Serra, mas alguns verdes já aderem ao tucano

Eleições 2010

Marina Silva (PV), que obteve 19,33% dos votos no primeiro turno da eleição presidencial, definirá seu apoio no segundo turno em até dez dias. Ela não descarta a neutralidade entre Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB). 0 debate, insiste Marina, se dará com base em propostas - ela quer investimentos em educação e "acordos mais transparentes" na política. No PV, porém, Fernando Gabeira, derrotado na disputa pelo governo do Rio, anunciou apoio a Serra - que já conta com a adesão do diretório verde de São Paulo. No primeiro dia de campanha do segundo turno, Serra foi a Belo Horizonte e classificou o senador eleito Aécio Neves (PSDB) de "peça-chave" - em troca, tucanos mineiros querem apoio a Aécio para a Presidência em 2014. Dilma, por sua vez, atacou a promessa de Serra de elevar o salário mínimo para R$ 600. (Págs. 1, H4, H6 e H8)

Dora Kramer : O eleitor tem a força

Lula não conseguiu prevalecer sobre tudo porque de verdade só quem tem a força absoluta e o eleitorado. Como líder político influente, Lula induz, mas não substitui a vontade das pessoas. (Págs. 1 e H8)

Reeleição de Roseana fortalece os Sarneys

Além de reeleita, governadora do Maranhão fez 12 dos 18 deputados da bancada federal, dois senadores e a maioria dos deputados estaduais. (Págs. 1 e H17)

Foto legenda: Articulação. Dilma (PT) durante encontro com governadores e senadores aliados do governo, em Brasília. (Pág. 1)

Foto legenda: Pêsames. Serra abraça Itamar ao lado de Aécio e de Aloysio Nunes, durante velório do pai de Aécio, em BH. (Pág. 1)
Imposto sobe para barrar a entrada de dólares
O governo elevou de 2% para 4% a a1íquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) nos investimentos estrangeiros em renda fixa. A medida, válida a partir de hoje, foi anunciada quatro dias após o dó1ar romper a barreira de R$ 1,70, considerada uma espécie de piso informal da taxa de câmbio. 0 anúncio foi feito às 18h15, depois do fechamento do mercado, com o dó1ar cotado a R$ 1,69. (Págs. 1 e Economia B1)
Exigência ameaça status de universidade
Governo vai exigir dois programas de doutorado e quatro de mestrado para que instituições sejam reconhecidas como universidades. (Págs. 1 e Vida A15)
Quem são os estaduais de SP e federais eleitos (Págs. 1, H13 e H15)
 
Conheça os campeões de voto em todo o país (Págs. 1 e H20)
 
Governistas dominam Assembleia paulista (Págs. 1 e H15)
 
Impasse sobre eleição de ficha-suja se mantém (Págs. 1 e H8)
 
Resgate de mineiros no Chile pode ser antecipado (Págs. 1 e Internacional A7)
 
Ilan Goldfajn
Melhor que está pode ficar

Haverá segundo turno. E, com ele, a esperança de surgirem os programas econômicos para o próximo governo. Houve poucas propostas até agora. (Págs. 1 e Espaço Aberto A2)
Arnaldo Jabor
O súbito encanto de Marina

No meio de uma programação mecânica de marketing, apareceu ser vivo: Marina Silva. Os erros dos dois favoritos acabaram sendo seu impulso. (Págs. 1 e Caderno 2, D10)
Notas & Informações
A Implosão do plebiscito

Lula subestimou a autonomia de fatia expressiva do eleitorado que se guia pelo senso crítico. (Págs. 1 e A3)
------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Brasil
 
Manchete: O flerte da vitória
Beijos que valem 19 milhões de votos

Dilma Rousseff e José Serra precisam do apoio de Marina Silva para chegar à Presidência. Mais do que nunca, os beijos que trocaram nos debates simbolizam a necessidade de aproximação. (Págs. 1 e País, 5)

Caciques sem tribo amargam a derrota nas urnas. (Págs. 1 e País, 2)

Novo Senado será bom para Dilma e ruim para Serra. (Págs. 1 e País, 3)

Constituição de 1988 faz aniversário. (Págs. 1 e País, 5)
Congo, país dos estupros, é o fracasso da ONU na África (Págs. 1 e Internacional, 14)
 
Rio é vice na alta da cesta básica (Págs. 1 e Economia, 13)
 
------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense
 
Manchete: A batalha pelo voto de Marina
Dilma e Serra elogiam a candidata do PV e defendem o meio ambiente para atrair o interesse de 19 milhões de eleitores

Terceira colocada no primeiro turno, Marina Silva tornou-se a noiva a ser conquistada na eleição presidencial. Dilma Rousseff e José Serra buscaram rapidamente uma aproximação com a candidata do Partido Verde, prestigiada por 19 milhões de eleitores. A petista ressaltou as afinidades políticas com a ambientalista, mas admitiu a possibilidade de não conseguir apoio da ex-ministra de Lula. O tucano, por sua vez, revirou o passado para destacar uma inusitada preocupação com o meio ambiente. Lisonjeada com o desempenho das urnas e o cacife político adquirido nos últimos dias, Marina disse que o apoio a candidatos será decidido pelo Partido Verde, mas ela pode assumir uma posição individual. (Págs. 1 e 2 a 4)
Agnelo venceu em 18 das 21 zonas eleitorais
No 2º turno, o PT vai atacar os redutos rorizistas. Já Weslian tenta igualar as antigas votações do marido. (Págs. 1, 25 e 26)
Toninho do PSOL: “Vou votar nulo”
Candidato que obteve 200 mil votos com críticas a Agnelo e Weslian libera eleitores a se decidirem em 31 de outubro. Ele não vê chance de aproximação com nenhuma das chapas. (Págs. 1 e 27)
Leia entrevistas com Cristovam, Rollemberg, Reguffe e Chico Leite (Págs. 1, 28 e 29)
 
Dólar terá IOF maior
Preocupado com a cotação da moeda dos EUA, governo aumenta o imposto sobre aplicações estrangeiras em renda fixa. (Págs. 1 e 16)
Servidores em alerta
A categoria pressiona o Congresso contra projetos que preveem demissões por desempenho e limitam gastos com a folha. (Págs. 1 e 13)
Foto legenda
Cartas escritas por estudantes estão revolucionando o ensino e os relacionamentos numa escola pública da Estrutural. (Págs. 1 e 38)
Mais polêmica sobre a AIDS
Médicos poderão receitar remédios para quem suspeitar ter contraído o HIV. Especialistas temem que a medida prejudique a prevenção. (Págs. 1 e 11)
Bebê de proveta rende o Nobel
Criador da fertilização in vitro, o britânico Robert G. Edwards ganhou o principal prêmio científico do mundo. (Págs. 1 e Saúde, 23)
------------------------------------------------------------------------------------
Valor Econômico
 
Manchete: Dilma e Serra tentam atrair Marina e reveem estratégia
A candidata do PT, Dilma Rousseff, saiu na frente na disputa pelo apoio da senadora Marina Silva, cujo desempenho na eleição foi decisiva para o segundo turno. Ela telefonou diretamente para Marina sob o pretexto de cumprimentá-la por sua votação. Não pediu apoio. Foi apenas um gesto de aproximação para futuras conversas.

O candidato José Serra (PSDB) também tem emissários conversando com Marina. Mas ontem estavam em Belo Horizonte para o velório do pai do senador eleito Aécio Neves, morto no domingo. "Guardado este momento de dor, Aécio e Anastasia (governador eleito de Minas Gerais) terão um papel-chave", declarou Serra. "São Paulo, Minas e Paraná reúnem 40% do eleitorado. O peso de suas lideranças farão a diferença agora", disse Goldman. Na verdade, os três Estados somam 31% dos votos. "Eles serão estratégicos não só em seus Estados, mas no Brasil como um todo", previu Aloysio Nunes, eleito senador São Paulo. (Págs. 1, A5, A6 e A7)
IOF de 4% terá pouco efeito no real
A decisão do governo de elevar a alíquota do IOF sobre investimentos externos em renda fixa, de 2% para 4%, pode no máximo reduzir a velocidade de apreciação do real, mas não vai mudar a tendência de queda do dólar no médio e longo prazos, segundo economistas de bancos ouvidos pelo Valor. 0 mercado já espera por novas medidas. A diferença entre os juros externos e internos continua elevada.

Enquanto os títulos do governo americano com vencimento em dez anos pagam 2,50% ao ano, um papel prefixado do Tesouro brasileiro com vencimento em 2021 paga 11,85%. Com a I0F anterior, de 2%, a estrangeiro recebia 11,61% ao ano. Agora, passa a receber 11,376%. (Págs. 1, C1 e C2)
Cresce força dos partidos médios
Duas forças políticas bem distintas ganharam força na composição da nova Câmara dos Deputados, que teve renovação de 44,6% - percentual semelhante ao de eleições anteriores. Cresceram bastante as bancadas de partidos médios à direita e à esquerda no espectro político.

O grupo formado por PSB, PDT e PCdoB, que articula a recomposição do chamado "bloco de esquerda", ficou com 77 deputados, 13 a mais do que em 2006. Pela direita, PP, PTB e PR - partidos que perderam espaço há quatro anos em decorrência do escândalo do mensalão, no qual foram protagonistas ao lado do PT - elegeram 103 deputados, 15 a mais do que na eleição anterior. Esse cenário coloca a coligação pró-Dilma, liderada pelo PT e PMDB, os dois partidos que terão as maiores bancadas em 2011, na dependência direta de negociações com esses dois blocos parlamentares. Isso porque, isoladamente, não terão a maioria necessária para eleger os dirigentes da Casa. (Págs. 1 e A8)
Uso de energia per capita sobe 22% em 5 anos
O consumo per capita de energia elétrica pelos brasileiros aumentou 22% entre 2004 e 2009. Só no ano passado, houve expansão anual recorde de 5,5%, segundo dados da Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

A principal razão para o avanço foi o aumento da renda da população, que estimulou a compra de eletrodomésticos e eletroeletrônicos nos últimos cinco anos. O percentual de famílias que têm lavadora de roupas, por exemplo, subiu de 34,3% em 2004 para 44,3% em 2009. A geladeira, presente em 87,3% dos lares em 2004, hoje está em 93,4% das residências. Os computadores tiveram um avanço ainda mais expressivo, de 16,3% das casas em 2004 para 34,7% em 2009. (Págs. 1 e A3)
EUA impõem regra dura a novos Boeings
Os mais no0vos modelos de jatos comerciais da Boeing, que já sofrem com gastos extras e atrasos, enfrentam um novo desafio: as autoridades de segurança dos EUA adotaram regras preliminares exigindo que outros aviões mantenham distâncias maiores atrás deles durante o pouso. Essa e outras restrições - especialmente em torno dos grandes aeroportos de conexão - poderão frustrar empresas aéreas como a All Nippon Airways, a Japan Airlines e a Cargolux Airlines International. (Págs. 1 e B4)
Reação a links patrocinados na internet
Empresas começam a reagir aos problemas gerados pelos chamados
"links patrocinados" - anúncios vendidos pelos sites de busca com destaque na internet. Proprietários de sites desconhecidos atrelam seus nomes a marcas famosas para atrair mais acessos. Companhias brasileiras já recorreram à Organização Mundial da Propriedade Intelectual. Segundo especialistas, há empresas "de fachada" que registram milhares de domínios com as palavras mais procuradas na internet. (Págs. 1 e E1)
IBM ensaia o futuro no laboratório
Quais são as áreas de interesse de pesquisa em uma empresa como a IBM? Uma visita ao Watson Research Center, mantido pela companhia no Estado de Nova York, mostra que químicos, psicólogos, filósofos, engenheiros, físicos e matemáticos discutem temas aparentemente mais próximos da ficção científica do que do cotidiano. A lista inclui computadores com capacidade para entender e responder perguntas, sistemas para aliviar o congestionamento nas grandes cidades e técnicas para sequenciar moléculas de DNA com um custo dez vezes menor que o proporcionado pelas tecnologias atuais. "Usamos esses temas como inspiração para criar novas formas de trabalhar", diz Katharine Frase, vice-presidente de pesquisa de negócios emergentes da IBM. (Págs. 1 e B3)
Aumenta hostilidade dos americanos em relação a acordos de livre comércio (Págs. 1 e B6)
 
Chávez acelera desapropriações
Governo venezuelano expropria a Agroisleña, importante empresa privada produtora de sementes e fertilizantes, e promete acelerar a expropriação de terras para a reforma agrária. (Págs. 1 e Al5)
Suzano adere à ´pegada de carbono´
A Suzano Papel e Celulose será a primeira empresa do setor no mundo a informar em seus produtos a quantidade de CO, emitido durante o processo de produção. (Págs. 1 e B10)
Mercado reduz previsão para IPCA
O Boletim Focus pós-Relatório de Inflação trouxe uma redução nas projeções para inflação em 2011. Ainda acima da meta, o recuo pode indicar que o BC começa a controlar as expectativas do mercado. (Págs. 1 e C2)
Novas normas para os cartões
Setor de cartões de crédito espera para este mês decisão do CMN padronizando as tarifas bancárias cobradas pelos bancas emissores e também a elevação do pagamento mínimo das faturas. (Págs. 1 e C3)
IIF prega ação conjunta no câmbio
O Instituto de Finanças Internacionais defende que o Brasil busque um acordo com outros países para corrigir os desequilíbrio, cambiais em escala global, em vez de lançar mão de controles de capitais.(Págs. 1 e C8)
Definição política ajuda estatais
A definição em primeiro turno das eleições para governador nos Estados do Paraná e Minas Gerais, ambas com vitória de candidatos do PSDB, favoreceu as ações da Copel e da Cemig na bolsa. (Págs. 1, D2 e D3)
Ideias
Antonio Delfim Netto

O nome do jogo é melhorar simultaneamente a eficiência do setor público e insistir nos estímulos corretos ao setor privado. (Págs. 1 e A2)
Ideias
Raymundo Costa

PSDB enfrenta agora as consequências de problemas mal resolvidos, como a da falta de confiança entre Serra e Aécio. (Págs. 1 e A6)
------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas
 
Manchete: Dilma e Serra tentam surfar na onda verde
Depois de surpreender no primeiro turno e sair das urnas com quase 20 milhões de votos, Marina Silva (PV) passou a ser abertamente cortejada pelos dois candidatos que ainda disputam a Presidência. José Serra (PSDB) garante que o meio ambiente “será área prioritária” em seu eventual governo, enquanto Dilma Rousseff (PT) afirma dar “muito valor ao apoio de Marina”, a quem ligou para cumprimentar pela votação.

Edmar Moreira, o deputado do castelo, e outros caciques políticos são reprovados pelas urnas.

Região Central terá 22 dos 77 deputados na nova Assembleia. Jequitinhonha e Mucuri, só um.

Sete vereadores são eleitos deputados e provocam renovação de 17% na Câmara Municipal de BH. (Págs. 1 e 3 a 19)
Multidão no adeus a Aécio Cunha
Ao lado da filha, Gabriela, e de Itamar Franco e Antonio Anastasia, Aécio Neves recebeu os cumprimentos no velório do pai, o ex-deputado Aécio Cunha. Um grande número de pessoas — entre elas, parentes, amigos e políticos — passou pela Assembleia Legislativa, antes de o corpo seguir para a cremação. (Págs. 1 e 31)
´Pai´ do bebê de proveta ganha PrêmioNobel
O cientista britânico Robert G. Edwards, inventor da técnica de fertilização in vitro, que possibilitou o nascimento de 4 milhões de crianças, recebe o Nobel de Medicina da academia sueca. (Págs. 1 e 28)
Novo Madoff? Corretor teria dado golpe de R$ 70 milhões
Grupo imobiliário de Divinópolis é investigado pela Polícia Federal por suspeita de crime contra o sistema financeiro. Teria lesado mais de mil clientes, no mesmo estilo do megainvestidor Bernard Madoff. (Págs. 1 e 21)
------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio
 
Manchete: Todos querem Marina
Votos da terceira colocada podem decidir o 2º turno presidencial. Partidos enviam emissários e afagos para se aproximar, mas tendência é Marina ficar neutra. Gabeira, candidato do PV ao governo do Rio, já declarou apoio a Serra. (Pág. 1)

O crescimento do PT. (Pág. 1)

Eleição por herança. (Pág. 1)

Recomeça a campanha. (Pág. 1)
Assalto com feridos em Piedade (Pág. 1)
 
Loterias: Alternativa à greve nos bancos. (Pág. 1)
 
Mais imposto para segurar o valor do dólar (Pág. 1)
 
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora
 
Manchete: Tarso inicia articulação para compor o governo
Pela manhã, governador eleito fez contatos com aliados, ao esboçar o secretariado. À tarde, com a recordista de votos Manuela, foi para Brasília a chamado de Dilma.

Os redutos de Tarso, Fogaça e Yeda.

O dia seguinte da governadora.

As bancadas de Câmara e Senado. (Págs. 1, Cobertura da eleição 4 a 21 e Editorial, 22)
Foto legenda: Sem mandato e impedida de concorrer
Em clima de ressaca, Luciana Genro lamenta resultado das urnas e o fato de não poder se candidatar no Estado governado pelo pai. (Págs. 1, Cobertura da eleição 4 a 21 e Editorial, 22)
Bebê de proveta: Eleição de Nobel criticada pelo Vaticano
Aos 85 anos, Robert Edwards recebeu prêmio por técnica da fertilização in vitro. (Págs. 1 e 32)
Freio ao real: Planalto age para conter queda do dólar
Governo dobra o imposto sobre investimento estrangeiro aplicado em renda fixa. (Págs. 1 e 24)
------------------------------------------------------------------------------------
 
Repasse. Se nos anos de 1940 existisse internet, Hitler não teria assassinado milhões de judeus.
Buya neles!!!
 
 
- Buya




Buya ©.Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta
página em qualquer meio de comunicação.