- Links
» Página Inicial
» Estadão
» Revista Veja
» Revista Época
» Folha de São Paulo
» Revista Isto É
» Revista Carta Capital
» Prefeitura de Pirassununga
-
BALAIO DO BUYA
Jornal Virtual
-
» Contato
 
 
- Balaio do Buya
Dizimista 300

03 de novembro de 2010

O Globo
 


Manchete: PMDB desafia PT e diz que não cederá ´um milímetro´
 

Após primeiro atrito, Temer é incluído na transição, mas sem função

O PMDB já apresentou ao PT a conta do apoio para a eleição de Dilma Rousseff: quer manter os atuais ministérios, mas aceita menos se ganhar pastas "com a porteira fechada", nomeando o segundo escalão.
"O PMDB não terá a ousadia de avançar um milímetro em seus direitos. Mas não vai recuar um milímetro em seus deveres", disse o líder do partido, deputado Henrique Eduardo Alves. O presidente do PT, José Eduardo Dutra, jantou ontem com o vice-presidente eleito, Michel Temer, presidente do PMDB, para tratar do assunto. Diante do atrito com o PMDB, excluído da primeira reunião da transição, Temer foi chamado para a equipe, sem tarefa definida, segundo Dutra. Em entrevistas às TVs Bandeirantes e SBT, Dilma disse que a briga entre partidos não chegou até ela, mas explicou que Temer entrou na transição em nome da campanha, e não do PMDB. Ela assegurou que os partidos que a apoiaram serão contemplados no governo, com critérios técnicos, mas também políticos. E admitiu que gostaria de criar mais um ministério: o das micro, pequenas e submédias empresas. (Págs. 1, 3 e Merval Pereira)

Reeleição: ´Não vamos pôr o carro na frente dos bois’

A presidente eleita, Dilma Rousseff, recorreu à sua mineiridade e não disse sim nem não ao ser perguntada, na TV, se, como afirmara o presidente do PT, poderia disputar a reeleição em 2014: “É botar não só a carroça na frente dos bois. É botar a carroça, os carros e os caminhões”. Ela confirmou que Lula deverá tomar ´medidas na área econômica para facilitar as ações do futuro governo, mas negou que seja um "saco de maldades". Voltou a condenar qualquer tentativa de controle da mídia e atacou as invasões ilegais de terra. (Págs. 1 e 4)

Novo governo pode ter metas para gastos e investimentos

Auxiliares de Dilma estudam criar metas para gastos correntes e investimentos a serem realizados pela União a partir de 2011. A ideia e fixar tetos para fazer com que continue caindo a relação entre a divida publica e o PIB. A medida tem o objetivo de dar mais transparência as contas federais e permitir um maior controle das despesas, tranquilizando os agentes econômicos. (Págs. 1 e 9)

Ofensiva de Obama para conter estragos
 

No dia da eleição, presidente dos EUA apela a americanos em maratona de entrevistas e twitter

Num esforço de última hora, o presidente Barack Obama fez ontem uma verdadeira ofensiva tentando reduzir os estragos no campo democrata: deu quatro entrevistas a rádios, postou mensagens em seu twitter e enviou e-mails para estimular um desanimado eleitorado democrata a sair de casa para votar na renovação do Congresso. "Para aquele que esta me ouvindo, lembre-se, você pode dar forma ao futuro. Mas, se não se envolver, alguém o fará em seu lugar", apelou Obama, que votou semana passada pelo correio. (Págs. 1 e 24 a 26)

Republicanos ameaçam a reforma da saúde

Verbas para implementar a principal lei aprovada pelo governo Obama dificilmente serão liberadas por um Congresso dominado pela oposição. (Págs. 1 e 25)

Foto legenda: Eleitora muçulmana vota em escola em Michigan: apelo do presidente para tirar democratas de casa e reduzir os danos ao partido no Congresso (Pág. 1)

Arquivos: historiador se demite em protesto
 

Em protesto contra a decisão do Arquivo Nacional de negar aos pesquisadores acesso aos acervos da ditadura, o professor Carlos Fico, da UFRJ, pediu demissão do Memórias Reveladas, centro criado pelo governo para reunir documentos do regime militar. Segundo Fico, o Arquivo alegou, para barrar as pesquisas, que a imprensa fez uma busca indevida de dados sobre candidatos "envolvidos na campanha eleitoral". (Págs. 1 e 10)

ONG apela a Dilma para salvar Sakineh
 

O Comitê Internacional contra a Pena de Morte e o Apedrejamento apelou ontem à presidente eleita, Dilma Rousseff, na tentativa de evitar que a iraniana Sakineh Ashtiani seja enforcada hoje. A assessoria de Dilma disse que ela não se pronunciaria. (Págs. 1 e 27)

A última do Berlusconi
 

Em mais uma brincadeira de mau gosto, o premier Silvio Berlusconi disse ontem que é melhor gostar de garotas bonitas do que ser gay, deflagrando protestos de ativistas homossexuais em frente ao palácio do governo. Ele se defendia de denúncias sobre um caso com uma jovem marroquina de 17 anos. (Págs. 1 e 27)

Pré-sal: reserva em Santos pode ser 34% maior
 

A britânica BG, sócia da Petrobras em áreas na Bacia de Santos, informou que elevou em 34% as estimativas para as reservas de petróleo na camada do pré-sal em Tupi, Iara e Guará, frente à média anterior. O volume agora pode chegar a 10,7 bilhões de barris. (Págs. 1 e 17)

------------------------------------------------------------------------------------

Folha de S. Paulo
 


 

Manchete: Dilma quer mudar regra de reajuste do salário mínimo
 

Presidente eleita estuda fórmula para antecipar para o ano que vem parte de aumento a ser concedido em 2012

A equipe de transição da presidente eleita Dilma Rousseff vai negociar com as centrais sindicais uma nova fórmula para reajustar o salário mínimo a vigorar já em 2011, relata Valdo Cruz. Uma proposta prevê antecipar parte do aumento real a ser concedido em 2012.

O modelo atual determina a correção pela inflação mais a variação do PIB de dois anos antes. Sem crescimento em 2009, o reajuste de 2011 só usaria a inflação. Como o PIB deve avançar 7% neste ano, Dilma
"desarmaria a bomba" de um reajuste muito grande adiante.

O aumento do salário mínimo para R$ 600, bandeira da campanha do PSDB, será agora prioridade da oposição no Congresso. (Págs. 1 e A4)

Análise

Demagogia implode a política de reajuste, escreve Gustavo Patu. (Págs. 1 e A6)

Para eleita, praxe sugere que ela busque reeleição

A presidente eleita Dilma Rousseff afirmou ao "Jornal da Band" que
"a praxe" sugere que ela se candidate à reeleição. Discutir 2014 já
"é botar carroça, carros e caminhões" na frente dos bois, disse, em seguida. (Págs. 1 e A6)

Candidatura de Lula em 2014 e hipótese remota

Se Dilma fizer um governo bem-sucedido, por que razão abriria a porta para Lula? Se for péssimo ou medíocre, o retorno dele também se tornará incerto. (Págs. 1 e A2)

PMDB reclama, e Michel Temer vira coordenador

Após manifestar incômodo pelo que considera exclusão do centro de decisões após as eleições, o PMDB ganhou do PT um papel simbólico. O vice Michel Temer vai ser o coordenador-geral da transição. (Págs. 1 e A8)

Bancos terão aval para entrar no mercado de telefone celular
 

Instituições financeiras serão autorizadas pela Anatel a atuar como "operadoras virtuais", relatam Julio Wiziack e Toni Sciarretta.
Bancos poderão comprar no atacado minutos das teles e depois repassá-los aos clientes ou alugar a rede das operadoras e prestar o serviço diretamente. (Págs. 1 e B1)

Urnas indicam avanço republicano nos EUA
 

Os primeiros resultados das eleições para o Congresso dos EUA confirmaram as previsões de forte avanço republicano, partido de oposição ao presidente democrata Barack Obama.

Até às 23h de Brasília, republicanos tinham ganho projetado de 59 vagas na Câmara, ante 23 dos democratas. Ao todo, são 435 cadeiras em disputa. A apuração deve acabar hoje. (Págs. 1 e A13)

Foto legenda: Allyson, 2, observa sua mãe, Angela Webb, em cabine de votação no Estado do Colorado (pág. 1)

Dificuldade com dinheiro e sinal inicial de Alzheimer
 

Pesquisa da Universidade do Alabama (EUA) mostra que problemas para lidar com dinheiro podem ser sinal inicial do mal de Alzheimer. Segundo especialistas, a dificuldade de diagnosticar a doença nesse estágio expõe pacientes a risco de perda financeira. (Págs. 1 e C11)

Polícia desarma bomba mandada à premiê alemã
 

A polícia desarmou pacote com explosivos enviado à premiê Angela Merkel. Outro embrulho suspeito foi mandado para o italiano Silvio Berlusconi. Foram achadas sete bombas em Atenas. Duas explodiram. (Págs. 1 e A16)

Portugueses vão ficar com 12% do controle da Oi (Págs. 1 e B3)
 


Android, sistema móvel, dá a Google lucro de US$ 1 bi (Págs. 1 e Tec)
 


Editoriais
 

Leia "Esperar para ver", sobre perspectivas da política econômica sob Dilma; e "Mudar ou seguir", acerca das distinções entre situação e oposição. (Págs. 1 e A2)

------------------------------------------------------------------------------------

O Estado de S. Paulo
 


 

Manchete: Mal-estar com PMDB faz Dilma pôr Temer na equipe de transição
 

Primeira reunião teve só petistas, o que irritou os aliados peemedebistas

A presidente eleita Dilma Rousseff designou ontem o vice-presidente eleito Michel Temer (PMDB) para integrar a "equipe de transição de governo. A decisão foi tomada depois do mal-estar causado pela exclusão do PMDB da primeira reunião da equipe, a qual compareceram somente petistas. O presidente do PT, José Eduardo Dutra, tentou explicar como funcionará o comitê: “Eu vou conversar com os diversos partidos. O (Antonio) Palocci trabalhará a questão mais técnica. E o Temer, vamos conversar com ele”. Após insistência dos repórteres, Dutra disse que Temer vai “coordenar o processo". (Págs. 1 e Nacional A4)

Jose Eduardo Dutra
Presidente do PT

"Não tenho nenhuma informação sobre reclamações. Se houve (irritação do PMDB), vamos esclarecer". (Pág. 1)

Eleita fala em ´ganho real´ para o Bolsa-Família
 

A presidente eleita Dilma Rousseff afirmou à TV Brasil que uma de suas primeiras preocupações, assim que assumir o governo, será reajustar o Bolsa-Família, para dar "ganho real". Dilma disse, porém, que não dispõe ainda das contas para saber se o reajuste tornará necessário revisar o Orçamento de 2011. (Págs. 1 e Nacional A8)

Benefício dá menos votos

Bolsa-Família perde influência eleitoral, diz estudo. (Págs. 1 e Nacional A8)

Campos deve dar à Petrobras mais de 1 bilhão de barris
 

Projeções de mercado a respeito das recentes descobertas no pré-sal da Bacia de Campos, abaixo de reservatórios que já produzem petróleo, apontam para mais de 1 bilhão de barris. Embora menores do que as reservas de Santos, elas apresentam potencial de garantir receita de curto prazo à companhia, segundo especialistas. (Págs. 1 e Economia B1)

50 mil é a produção diária de barris em recentes descobertas. (Pág. 1)

Foto legenda: Os EUA vão às urnas
 

Californianos votam em seção de Venice Beach, nas eleições legislativas; caso se confirmem as pesquisas, Barack Obama se verá em difícil situação para tocar suas reformas após a posse, em janeiro, de 435 deputados federais e 33 senadores. (Págs. 1 e Internacional A19)

Merkel recebe bomba; Grécia sofre atentados
 

Uma bomba foi encontrada na correspondência da primeira-ministra alemã, Angela Merkel. No mesmo dia, pequenas bombas explodiram nas embaixadas suíça e russa em Atenas. A polícia grega achou ainda pacotes suspeitos nas missões chilena e búlgara. (Págs. 1 e Internacional A22)

Dez carros-bomba em Bagdá deixam 57 mortos (Págs. 1 e Internacional A22)
 


Mais baratos, eletrônicos serão estrelas do Natal (Págs. 1 e Economia B4)
 


Dora Kramer: Em nome das urnas
 

Ao dizer até breve e não adeus, José Serra procurou fazer jus aos votos recebidos e ao combinado de não deixar a tropa oposicionista se dispersar. (Págs. 1 e Nacional A6)

Visão Global: Clima diferente
 

Na eleição legislativa americana, há fúria, e não inspiração, escreve David Brooks. (Págs. 1 e Internacional A21)

Notas & Informações
 

O papel da oposição

Toda nação democrática necessita de governo competente tanto quanto de oposição viva. (Págs. 1 e A3)

Rolf Kuntz: Palavra de Dilma
 

Dilma terá de renegar o lulismo, se quiser cumprir os compromissos do discurso da vitória, como liberdade de imprensa e seriedade fiscal. (Págs. 1 e Economia B3)

------------------------------------------------------------------------------------

Jornal do Brasil
 


 

Manchete: Plínio prevê mensalão no novo governo
 

Ex-candidato do PSOL critica bloco governista

Classificando a vitória do PT na eleição presidencial de “um horror”, o candidato derrotado à Presidência pelo PSOL, Plínio de Arruda Sampaio, afirmou que a bancada que vai apoiar o governo de Dilma Rousseff no Congresso é composta por “gente da pior espécie e haverá mensalão”. Pessimista em relação ao futuro, disse preferir a “repressão” que viria com José Serra à
“cooptação” do governo Lula. (Págs. 1 e País, 2 e 3)

Classe C compra no varejo a preço de atacado (Págs. 1 e Economia, 23 e 24)
 


Anna Ramalho
 

Não votei na Dona Dilma, mas torço para que tenha sucesso. Agora, deixa esse negócio de mãe para os psicanalistas, porque o país não precisa. (Págs. 1 e Caderno B, 40)

Matador da Sérvia vale 10 milhões de euros (Págs. 1 e Internacional, 25 e 26)
 


DNA ajuda no combate ao câncer de cólon (Págs. 1 e Vida, Saúde & Ciência, 28)
 


------------------------------------------------------------------------------------

Correio Braziliense
 


 

Manchete: PMDB joga duro e Dilma escala Temer
 

Alijado das primeiras discussões na transição, futuro vice-presidente comandará as negociações políticas

Pressionada pelo principal partido aliado nestas eleições, a presidente eleita Dilma Rousseff divulgou ontem nota oficial anunciando que o deputado federal Michel Temer fará parte do comando de transição do governo. A partir de agora, ele será um dos articuladores com o Congresso e com as outras legendas que apoiaram a candidata vitoriosa. O anúncio tenta acabar com o mal-estar que se instalou no PMDB um dia após a eleição de domingo. Das primeiras reuniões para a equipe de transição, participaram apenas os petistas José Eduardo Dutra, José Eduardo Cardozo e Antônio Palocci. O peemedebista ficou fora das primeiras discussões e das listas de colaboradores. “O PMDB é um partido parceiro e o vice estará conosco permanentemente”, declarou Cardozo. À noite, Dutra e Temer começaram a discutir como será feita a distribuição de cargos. (Págs. 1, 2 e 3)

Foto legenda: Faces da transição. Dilma divulgou nota para acalmar o PMDB e o presidente do PT, José Eduardo Dutra, foi a uma reunião na casa de Temer. José Eduardo Cardozo diz que o clima é de harmonia. (Pág. 1)

Um cantinho no GDF
 

Partidos que apoiaram Agnelo Queiroz se mobilizam por cargos no governo. Peso maior será do PT e do PMDB. Mas PSB, PDT e PPS terão áreas estratégicas. (Págs. 1 e 23)

Dinheiro fácil: MP vai investigar site de empréstimo
 

Após reportagem do Correio, o Banco Central pediu que o Ministério Público questione a atuação da rede social Fairplace. O site promove a troca de recursos entre os participantes, mas sem controle das instituições financeiras. (Págs. 1 e 11)

Doações: Marina deu aval à empresa de seu vice
 

Principal patrocinadora da campanha do PV, a Natura obteve seis autorizações do Ministério do Meio Ambiente, na gestão de Marina Silva, para explorar recursos genéticos. Guilherme Leal, que compôs chapa com a ex-candidata, é o dono da indústria. (Págs. 1 e 4)

------------------------------------------------------------------------------------

Valor Econômico
 


 

Manchete: PMDB já influencia as decisões da transição
 

Passam pelo PMDB as decisões mais importantes a ser tomadas no curto prazo pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva com vistas à transição para o governo da presidente eleita Dilma Rousseff: a nomeação do 11º ministro do Supremo Tribunal Federal, dos dirigentes da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) e a compra de caças para a Força Aérea, a cargo do Ministério da Defesa, de Nelson Jobim (PMDB).

O principal nome do partido no futuro governo, o vice-presidente Michel Temer, foi indicado ontem pela presidente Dilma para compor a coordenação política da equipe técnica de transição. Esse grupo será nomeado pelo presidente Lula e terá a participação do coordenador-geral da campanha, José Eduardo Dutra, e dos deputados federais do PT de São Paulo, Antonio Palocci e José Eduardo Cardozo. (Págs. 1, A5, A10, A11, A12 e A13)

Dívida externa de curto prazo cresce mais
 

A dívida externa de curto prazo cresceu no ano a um ritmo mais veloz que a de longo prazo e chegou a 21,74% do total no fim do terceiro trimestre, bem acima dos 15,63% do fim do ano passado. Até setembro, a dívida externa do país, pública e privada, aumentou 23% e atingiu R$ 243,8 bilhões, enquanto a de curto prazo avançou 71%.

A principal razão para o aumento da dívida de curto prazo são transações feitas por instituições financeiras conhecidas como arbitragem de juros. Os bancos tomam linhas de curto prazo em dólar, pagam de zero a 1%, e investem em cupom cambial (juros em dólar no mercado interno), recebendo mais de 2%. Ficam livres do risco cambial e ganham a diferença dos juros, que não é elevada, mas que, em grandes volumes, pode trazer bom lucro. (Págs. 1, Cl e C3)

Investimento público no ensino chega a 5% do PIB
 

O gasto público com educação no Brasil, como proporção do Produto Interno Bruto (PIB), cresceu de 4,7% para 5% entre 2008 e 2009, de acordo com levantamento do Ministério da Educação (MEC). O ensino básico registrou o maior aumento nos investimentos, segundo o ministro Fernando Haddad.

Com base nesses dados, o ministério atualizou o cálculo do aporte público direto por estudante, que ficou em RS 3.353 na média de todos os ciclos de aprendizado, valor que representa alta de 7,3% sobre 2008. Na educação básica, o custo-aluno anual subiu de R$ 2.746 para R$ 2.948, enquanto no nível universitário a expansão foi de 0,3%, passando de R$ 15.399 para R$ 15.452. (Págs. 1 e A3)

Foto legenda: Novas fronteiras
 

A Butamax, associação entre British Petroleum e DuPont, pretende exportar para os EUA blobutanol. Biocombustível renovável que concorre com etanol e gasolina, diz seu CEO, Tim Potter. O produto será fabricado no laboratório da empresa, a ser inaugurada hoje em Paulínia. (Págs. 1 e B11)

Em busca de pechinchas na internet
 

Parte do faturamento de R$ 14,3 bilhões esperado para o comércio eletrônico neste ano virá de pechinchas virtuais feitas por meio de sites de compras coletivas, clubes de compras ou leilões on-line, nos quais o consumidor consegue preços vantajosos. O fenômeno, que ganhou força neste ano, mostra que o brasileiro está perdendo o medo de comprar pela internet e a usa para encontrar promoções. A próxima onda, dizem especialistas, serão os sites que selecionam as melhores pechinchas. (Págs. 1 e B5)

EUA deverão ter Congresso mais protecionista
 

Uma bancada maior dos republicanos na Câmara dos Deputados americana tende a ser mais favorável aos interesses brasileiros por serem eles mais abertos à ideia do livre comércio que os democratas. Mas não é o que deve ocorrer nas eleições legislativas nos EUA, realizadas ontem. De forma geral, os congressistas eleitos devem estar mais preocupados com o desemprego do que em reduzir barreiras ao comércio internacional.

“A crise econômica fez com que o eleitor americano ficasse muito mais resistente à abertura comercial e isso deve influenciar o perfil da nova bancada republicana", diz o representante da Unica nos EUA, Joel Velasco, que tenta derrubar as barreiras tarifárias à importação de etanol brasileiro. (Págs. 1 e A15)

Para Trabuco, do Bradesco, "agenda virtuosa" do governo Dilma já está dada (Págs. 1 e A14)
 


Norsul inicia terminal para aço
 

A Norsul deve reiniciar este mês as obras do centro de distribuição e do terminal projetados para atender a Vega (Arcelor-Mittal), em São Francisco do Sul (SC). O investimento total e de R$ 120 milhões. (Págs. 1 e B1)

Crise reduz gasto com inovação
 

As mil companhias que mais investem em pesquisa e desenvolvimento (P&D) no mundo reduziram em 3,5% seus orçamentos em 2009. Foi a primeira queda desde 2000, início da pesquisa da Booz & Company. (Págs. 1 e B2)

Consultorias em expansão
 

Aquecimento da economia brasileira obriga empresas de consultoria a ampliar e diversificar suas equipes, inclusive com a aquisição de concorrentes de menor porte. (Págs. 1 e B4)

Fim de ano antecipado
 

A Nita Alimentos, marca do Moinho Paulista, está aumentando sua produção de panetones em 60% sobre o ano passado, quando estreou no segmento. A fabricação é feita com trigo canadense, em parceria com a Cepam Village. "Desta vez, vamos chegar a 90% do país", diz Marcos Pereira. (Págs. 1 e B9)

CAB mira PPPs no Nordeste
 

A Companhia de Águas do Brasil (CAB Ambiental), da Galvão Engenharia, prepara propostas para três PPPs com estatais do Nordeste, que somariam investimentos de R$ 610 milhões. (Págs. 1 e B10)

Consumo de orgânicos cresce no país
 

A crise nos EUA e na Europa e o crescimento do mercado interno estão mudando o perfil do setor de produtos orgânicos no Brasil, até agora tradicionalmente voltado à exportação. (Págs. 1 e B13)

Importações de trigo
 

Baixa qualidade do trigo brasileiro nesta temporada deve obrigar o país a importar até 6,5 milhões de toneladas, maior volume desde o ciclo 2006/7. (Págs. 1 e B14)

Otimismo com o consumo
 

As boas perspectivas para as vendas de fim de ano transformaram as ações preferenciais do Pão de Açúcar no destaque da Carteira Valor para novembro. (Págs. 1 e D1)

Isenção para hora extras
 

Empresas obtêm na Justiça a exclusão de contribuição previdenciária sobre horas extras. Decisões se baseiam em julgado do STF que impõe a incidência sobre verbas incorporáveis ao salário, para cálculo de aposentadoria. (Págs. 1 e E1)

Ideias
 

Martin Wolf

Reunião da cúpula do G-20 será chance de comprovar utilidade do multilateralismo na solução de conflitos entre potências. (Págs. 1 e Al7)


Ideias
 

David Kupfer

Crescimento industrial dos últimos anos não teve correspondência no desempenho inovador das empresas. (Págs. 1 e Al7)

------------------------------------------------------------------------------------

Estado de Minas
 


 

Manchete: Transição terá Temer após pressão do PMDB
 

A presidente eleita Dilma Rousseff incluiu o seu vice, Michel Temer, na equipe de transição de governo. Ele esteve de fora das primeiras reuniões com o comando da campanha. A decisão ocorreu após pressão do PMDB, principal aliado na coligação que elegeu a petista. A coordenação política será feita por Temer, pelo presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, e pelos deputados federais Antonio Palocci e José Eduardo Cardozo. Acompanhada da assessora Helena Chagas, Dilma saiu de casa, no Lago Sul, à noite, para dar entrevista a uma rede de TV. A indicação de Temer ocorreu por meio de nota oficial. E para selar a paz, Dutra jantou com ele. Hoje será instalada a comissão de transição para ouvir os partidos aliados. (Págs. 1 e 3 a 6)

Campanhas milionárias
 

Empreiteiras doaram R$ 35 milhões aos candidatos, segundo balanço da Justiça Eleitoral. Valor equivale a um quarto das doações. As maiores contribuições foram de diretórios nacionais e estaduais dos partidos. (Págs. 1 e 3 a 6)

Vice doou R$ 11 mi a Marina
 

Empresa de Guilherme Leal, companheiro de chapa de Marina Silva, obteve autorizações do Ministério do Meio Ambiente, quando ela era titular da pasta, para explorar recursos genéticos na produção de perfumes. (Págs. 1 e 3 a 6)

Abuso: Drogas avançam sobre a infância
 

Cerca de 13% das crianças entre 10 e 13 anos já experimentaram drogas. O levantamento é do Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas (Cebrid). (Págs. 1, 19 e 20)

Antibióticos: Venda restrita preocupa varejo
 

Obrigatoriedade de prescrição médica tende a prejudicar pequenos varejistas, que trabalham com menos produtos. (Págs. 1 e 13)

------------------------------------------------------------------------------------

Jornal do Commercio
 


 

Manchete: Número de homicídios cai 13,3% no Estado
 

Queda foi constatada no período de outubro de 2009 até o mês passado, em relação a 2008/2009. Após três anos de lançado, o Pacto pela Vida já registrou 23 meses consecutivos de redução no total de crimes violentos contra a vida. (Pág. 1)

Após mal-estar com o PMDB, Dilma revê equipe de transição (Pág. 1)
 


------------------------------------------------------------------------------------

- Buya




Buya ©.Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta
página em qualquer meio de comunicação.