- Links
» Página Inicial
» Estadão
» Revista Veja
» Revista Época
» Folha de São Paulo
» Revista Isto É
» Revista Carta Capital
» Prefeitura de Pirassununga
-
BALAIO DO BUYA
Jornal Virtual
-
» Contato
 
 
- Balaio do Buya
PRINCIPAIS JORNAIS DO PAÍS

05.03 - SINOPSE DOS PRINCIPAIS JORNAIS DO PAÍS

05 de março de 2010

O Globo
 


 

Manchete: STF mantém Arruda preso e impeachment é aberto
 

Toffoli, ex-advogado da campanha de Lula, votou pela libertação

No mesmo dia em que a Câmara Legislativa do Distrito Federal abriu processo de impeachment contra o governador afastado José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM), o Supremo Tribunal Federal decidiu mantê-lo preso - Arruda está há três semanas numa cela da PF em Brasília, por tentativa de coagir testemunha. Ele é acusado de chefiar esquema de pagamento de propina, financiamento ilegal de campanha e compra de apoio político. Por unanimidade, os 19 deputados distritais que participaram da sessão da Câmara aprovaram o relatório do deputado Chico Leite (PT), segundo o qual Arruda cometeu crimes de responsabilidade que justificam a cassação. Mesmo deputados que eram da base de Arruda ficaram a favor do relatório. No STF, dos oito ministros que votaram até as 22h, sete defenderam a manutenção da prisão. Só José Antonio Toffoli, último indicado por Lula e ex-advogado do PT, votou pela libertação. (págs. 1, 14 e 15)

Policial civil sequestra o chefe
 

Não era assalto nem ação do tráfico. No entanto, foram necessários mais de 40 policiais para a operação: deter um colega, o inspetor Uesner Leonardo, que manteve um dos chefes da 39ª DP (Pavuna) como refém por cinco horas, após uma crise nervosa. Antes de se entregar, Uesner fez duas exigências: a presença de uma equipe de TV e não sair da delegacia algemado. Foi atendido. (págs. 1 e 18)

Foto legenda: Com distintivo da polícia, sem algemas e com a boca tapada por uma irmã para não dar entrevista, o inspetor Leonardo é levado preso

MP: verba pública favoreceu Garotinho
 

Os ex-governadores do Rio Anthony e Rosinha Garotinho e mais 86 pessoas foram denunciados pelo Ministério Público por improbidade administrativa e tiveram os bens bloqueados pela Justiça. Segundo o MP, a campanha de Garotinho à Presidência em 2006 pelo PMDB recebeu recursos desviados do estado: ONGs contratadas pelo governo Rosinha davam dinheiro à campanha. (págs. 1 e 3 a 8)

Planalto nega e PMDB apoia licença de Lula
 

A notícia de que Lula pretende se licenciar por dois meses para se dedicar à campanha da ministra Dilma repercutiu mal e foi negada pelo Planalto. Mas líderes do PMDB apoiaram. (págs. 1 e 16)

Merval Pereira
A reação foi tão ruim que a intenção de Lula de se licenciar para ajudar Dilma pode nem se concretizar. (págs. 1 e 4)

Doce Dilma
Dono da maior rede varejista do país, o grupo Pão de Açúcar, Abílio Diniz declarou apoio à candidata Dilma Rousseff (PT). Segundo ele, a ministra "sabe ouvir" e tem todas as condições de levar adiante o que chamou de legado do presidente Lula, de quem se disse fã. Em 89, o sequestro de Diniz, na véspera da eleição, prejudicou Lula. (págs. 1 e 16)

Brasil retoma investimento estrangeiro
 

Este ano, o Brasil já fez US$ 4,3 bilhões de investimentos produtivos no exterior. Com essa retomada pós-crise, as multinacionais brasileiras devem fechar o ano com US$ 200 bi no exterior. (págs. 1 e 29)

Crusoé perde contato
 

Ilha chilena é isolada por tsunami

Na ilha Robinson Crusoé, no Chile, um computador é o único elo dos moradores com o mundo desde a tsunami de sábado. Conhecida como a Galápagos das plantas, a ilha ganhou o nome de Robinson Crusoé em homenagem ao marinheiro escocês Alexander Selkirk, que teria inspirado o romance de Daniel Defoe. Só ontem a ilha recebeu uma nova antena de telefonia, que a tirará do isolamento. (págs. 1, 37 e 38)

------------------------------------------------------------------------------------

Folha de S. Paulo
 


 

Manchete: Justiça reabre processos contra Daniel Dantas
 

STJ mantém juiz De Sanctis à frente da Satiagraha; ação de lavagem de dinheiro permanece suspensa

Por 4 votos a 1, a 5ª Turma do Superior Tribunal de Justiça revalidou processos da Operação Satiagraha. O juiz federal Fausto De Sanctis, da 6ª Vara Criminal de São Paulo, foi mantido à frente do caso, que investiga o banqueiro Daniel Dantas e o grupo Opportunity.

Em dezembro, o STJ havia suspendido a Satiagraha após a defesa de Dantas questionar a imparcialidade do juiz na investigação. Se De Sanctis fosse considerado suspeito, toda a operação poderia ser anulada. Os advogados do banqueiro estudam se entram com recurso.

A operação já rendeu a Dantas uma condenação em primeira instância, da qual ele recorreu. Apesar da decisão do STJ, o processo em que o banqueiro foi acusado de lavagem de dinheiro continua suspenso, por ordem do Tribunal Regional Federal da 3ª Região. (págs. 1 e A12)

Foto legenda: Joyce está bem
 

A brasileira Joyce Penha, 7, brinca em escombros em Constitución (Chile); só cinco dias depois do terremoto, o pai da menina, que mora no Brasil, teve a confirmação de que ela estava bem (págs. 1 e A16)

Governo decide liberar tarifas de trem-bala entre Rio e SP
 

O governo Lula fixou um preço-teto do trem-bala Rio-SP só para a classe econômica e no trajeto entre os centros das cidades. As outras tarifas serão liberadas.

A justificativa é que a política tarifária tem de ficar o mais perto possível da usada na ponte aérea. Orçado em R$ 34 bilhões, o trem-bala é a maior obra do PAC; seu edital definitivo deverá sair até o final deste mês. (págs. 1 e B1)

PSDB trata Serra como candidato, mas coro pede Aécio presidente
 

O governador José Serra foi acolhido em Belo Horizonte pela cúpula do PSDB e do DEM como candidato à sucessão de Lula. Em tom de brincadeira, o governador Aécio Neves chegou a pedir a Serra que nomeie mais ministros mineiros "quando for presidente".

Em inauguração, militantes tucanos em MG receberam Serra com um coro de "Aécio presidente". (págs. 1 e A4)

Doméstica do Recife é a que mais trabalha
 

A jornada das domésticas com carteira assinada no país chegou a até 54 horas semanais em 2009, segundo o Dieese. O número foi registrado no Recife. Em São Paulo e Porto Alegre, houve a menor carga horária -41.

Diferentemente dos outros trabalhadores, as empregadas domésticas não têm todos os benefícios das leis trabalhistas. (págs. 1 e B6)

No pico, trânsito de SP é mais lento que corrida a pé
 

A velocidade média do trânsito na cidade de São Paulo no pico da tarde caiu 16% no ano passado e se limitou a 15 km/h - mais devagar do que um corredor campeão da São Silvestre.

Os dados, da CET, foram verificados mesmo após medidas mais severas de limitação ao tráfego de veículos, como restrição a caminhões e a ônibus fretados. (págs. 1 e C1)

Ataques antes de eleição deixam pelo menos 17 mortos em Bagdá
 

Atentados visavam servidores que votaram antes porque trabalharão no domingo, dia das eleições, relata o enviado especial Samy Adghirni. (págs. 1 e A14)

Foto legenda: Soldado iraquiano com dedo sujo de tinta após voto antecipado

Justiça quebra sigilo bancário e bloqueia bens do casal Garotinho (págs. 1 e A12)
 


Fernando de Barros E Silva
 

Governador de SP teve que pagar seu primeiro pedágio na visita a Minas (págs. 1 e A2)

Editoriais
 

Leia "Serra ou não Serra", sobre as hesitações do tucano; e "A imagem da caatinga", acerca do desmate do bioma (págs. 1 e A2)

------------------------------------------------------------------------------------

O Estado de S. Paulo
 


 

Manchete: Grandes empresas ampliam lucros ao aderir ao Refis
 

Companhias saudáveis aproveitam programa de refinanciamento de dívidas

O "Refis da Crise", programa de parcelamento de débitos federais, ajudou grandes empresas que, em tese, não tinham necessidade de aderir à renegociação oferecida pelo governo. Foi o que aconteceu, por exemplo, com a CSN, que teve impacto positivo expressivo nos resultados do quarto trimestre de 2009, divulgados semana passada. O grupo siderúrgico abateu no Refis R$ 507 milhões. O valor turbinou o lucro, que chegou aR$ 745 milhões. Sem o programa, teria sido de R$ 238 milhões. Outras empresas, como o Grupo Ultra, a AES Eletropaulo, a Braskem e a Klabin, seguiram a mesma trajetória. O diretor de Gestão da Dívida Ativa da União na Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, Paulo Ricardo de Souza, disse que não há como evitar que contribuintes com bom fluxo de caixa participem do Refis. (págs. 1 e B3)

Indústria: melhor janeiro desde 95

A produção industrial em janeiro cresceu 1,1% na comparação com dezembro e subiu 16% ante janeiro de 2009, o melhor resultado para meses de janeiro desde 1995. O segmento que reúne matérias-primas e insumos puxou o saldo. (págs. 1 e B4)

Tucanos antecipam propaganda com Serra
 

Em reação ao crescimento nas pesquisas da pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, o PSDB paulista decidiu antecipar para este mês a propaganda partidária no rádio e na TV, prevista para ser veiculada só em junho, informa Silvia Amorim. O tempo será dedicado integralmente ao governador paulista, José Serra, virtual candidato do partido. A estratégia é dar um tom de balanço de seu governo. (págs. 1 e A4)

Violência marca início da votação no Iraque
 

Apesar da extraordinária segurança para a votação antecipada de militares, policiais e profissionais da saúde, um ataque com foguete e dois alentados mataram ontem 17 pessoas em Bagdá. Foi um prelúdio do que pode acontecer na eleição de domingo. Apesar dos ataques, os militares compareceram em massa para votar. Como eleitores, disseram esperar o restabelecimento da segurança e dos serviços básicos. (págs. 1 e A15)

Frase
Abbas al-Majidi
Sargento iraquiano, ao votar
"Precisamos trabalhar menos e ter mais tempo com nossas famílias"

Foto legenda: Prontidão - Soldados iraquianos patrulham a entrada de escola em Bagdá, um dos locais de votação de militares no centro da capital

Câmara abre processo de impeachment contra Arruda
 

A Câmara do Distrito Federal abriu ontem processo de impeachment contra o governador afastado José Roberto Arruda, que está preso na Polícia Federal por tentativa de suborno a testemunha do mensalão do DEM. A decisão foi unânime. A partir de agora, Arruda será notificado
e terá 20 dias para apresentar defesa. (págs. 1 e A14)

Após tremor, Chile só deve crescer 1%
 

Previsão era de crescimento de 4%

O terremoto de sábado deixou a economia do Chile "seriamente comprometida", segundo relatórios divulgados ontem pelo governo. O crescimento do país deve ser de 1% em 2010, ante a previsão inicial de 4%. A reconstrução pode levar de 3 a 4 anos. Pelluhue é o retrato da destruição - 80% do balneário foi levado pelo tsunami que se seguiu ao tremor, relata o enviado especial Ariel Palacios. (págs. 1 e A18)

Foto legenda: SP: Patrimônio ameaçado
 

Casarão da Vila Maria Zélia, cuja restauração está parada: em 4 anos, só 27 multas por dano ao patrimônio. (págs. 1, C1 e C3)

E-mail vai avisar data de vacina contra gripe suína
 

A partir de segunda-feira, quando começa a vacinação contra a gripe suína, será possível se inscrever pela internet para receber, por e-mail, a data de tomar a vacina. A meta é imunizar 91 milhões de brasileiros. (págs. 1 e A20)

Notas e Informações: A diplomacia da pirraça
 

Os iranianos se desdobram em lisonjas ao Brasil - e o Itamaraty, ofuscado pela soberba, cai no conto. (págs. 1 e A3)

------------------------------------------------------------------------------------

Jornal do Brasil
 


 

Manchete: O drama de ser usuário do Santos Dumont
 

Problemas vão de caixas eletrônicos expostos até a ditadura dos táxis

Uma das principais portas de entrada do Rio, o Aeroporto Santos Dumont está se tornando motivo de extrema preocupação para as autoridades e para quem precisa passar diariamente pelo local. Além da já rotineira insegurança - agravada, por exemplo, pela exposição dos caixas eletrônicos de bancos - o abandono de logradouros próximos e a cobrança abusiva de taxistas, que não respeitam o taxímetro, ajudam a manchar ainda mais a imagem de um ponto estratégico da cidade que será a sede dos Jogos Olímpicos de 2016. A Defensoria Pública da União enviará segunda-feira ofícios para a Infraero e as polícias Militar e Civil cobrando melhorias na segurança. Ontem, uma operação realizada pela Secretaria Municipal de Transportes na entrada do aeroporto rebocou 16 táxis. (págs. 1 e Tema do dia A2 e A3)

Tancredo Neves – 1910-2010
 

Artigos e reportagens sobre o centenário de Tancredo Neves, publicado na edição de ontem, causaram repercussão no Rio e em Brasília. (págs. 1 e A6)

Chile pede ajuda a Banco Mundial
 

O governo chileno reconheceu que aportes do Banco Mundial serão indispensáveis para a reconstrução das áreas atingidas pelo terremoto, o que deverá se estender por pelo menos três anos. A medida que os dias avançam, diminuem as chances de resgatar sobreviventes nos destroços. Réplicas do tremor assustam a população. (págs. 1 e Internacional A20)

Espanhóis miram mercado do Rio
 

O potencial econômico do Brasil e os megaeventos esportivos que o país vai realizar aguçaram o interesse de políticos e empresários de Valência, na Espanha. Após visitar São Paulo e Brasília, um grupo de espanhóis se reúne hoje com o governador Sérgio Cabral para iniciar parcerias entre as duas cidades. (págs. 1 e Economia A18)

Coisas da política
 

Os pardais e os tico-ticos na visão de Tancredo. (págs. 1 e A2)

Editorial
 

A luz da democracia sobre os ´fichas sujas´. (págs. 1 e A10)

Anna Ramalho
 

Aécio candidato em 2 de abril? Quem sabe... (págs. 1 e A16)

Informe JB
 

Aécio dá recado em festas para Tancredo. (págs. 1 e A4)

Sociedade Aberta
 

José Sarney
Presidente do Senado e ex-presidente da República

As pontes construídas por Tancredo. (págs. 1 e A11)

------------------------------------------------------------------------------------

Correio Braziliense


 

Manchete: STF nega habeas corpus a Arruda
 

O plenário do Supremo rejeitou, por 9 votos a 1, o pedido de liberdade em favor do governador do Distrito Federal. A maioria dos ministros acompanhou o relator Marco Aurélio Mello e indeferiu as reivindicações apresentadas pelo advogado Nélio Machado. O voto divergente na sessão partiu de José Antônio Toffoli, que ressaltou a necessidade de autorização da Câmara Legislativa para o STJ decretar a prisão de Arruda. O julgamento no STF durou mais de quatro horas. (págs. 1, 23 e 24)

Câmara abre processo de impeachment
 

Com a prisão preventiva mantida pela Justiça, Arruda também está mais próximo de perder o mandato. Em votação que durou menos de 30 minutos, 19 deputados distritais aprovaram a abertura de processo de impeachment. A gravidade das denúncias reveladas na Operação Caixa de Pandora fez ruir a base de sustentação do governador, que tinha ampla maioria no Legislativo. Eliana Pedrosa (DEM) e Aguinaldo de Jesus (PRB), antigos aliados de Arruda, faltaram à sessão. Assim que receber a notificação da Câmara Legislativa, o governador tem 20 dias para apresentar a defesa. O processo volta às mãos do relator, Chico Leite, que terá um prazo de 10 dias para se manifestar novamente. O processo de cassação pode durar até cinco meses. (págs. 1 e 25)

Urbanismo: Tombamento de Brasília será avaliado
 

Em julho, quando receberá a reunião anual da Unesco sobre as cidades consideradas patrimônio da humanidade, a capital federal terá seu título discutido pelos especialistas. As agressões ao projeto de Lucio Costa podem ser alvo de sanções do órgão da ONU. (págs. 1 e 29)

Terremoto: Chile quer recontar os seus mortos
 

Enquanto a esperança de resgate de sobreviventes dos escombros vai chegando ao fim, as autoridades chilenas pretendem rever o número oficial de 802 vítimas da tragédia. Desaparecidos podem ter sido contados como mortos, segundo informou a presidenta Michelle Bachelet. (págs. 1, 16 e 17)

Eleições 2010: Serra ouve o coro “Aécio presidente”
 

Após descartar ser vice numa chapa “puro-sangue” do PSDB liderada por José Serra, o governador de Minas Gerais, Aécio Neves, é ovacionado por milhares de pessoas num evento em Belo Horizonte. Candidatura do tucano paulista à Presidência já é dada como certa. (págs. 1 e 2 a 4)

------------------------------------------------------------------------------------

Valor Econômico
 


 

Manchete: Grandes lojas superam tabu e lucram com cartão híbrido
 

A passos largos, os cartões híbridos avançam no mercado e substituem os "private label" emitidos pelas redes de varejo. O que até pouco tempo era um tabu para essas empresas, que temiam facilitar as compras de seus clientes em outros estabelecimentos, virou negócio. O movimento, iniciado em 2006 pela C&A, quando ainda tinha o Banco Ibi como braço financeiro, agora ganha as dimensões do mercado. Os novos cartões com bandeira têm a função "private" quando capturados pelo lojista que os emitiu e geram receitas quando usados na concorrência. O adicional vem na forma de comissão pelos acordos de exclusividade com bancos ou como taxa de intercâmbio quando a varejista tem sua própria operação financeira.

Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), os cartões de loja somam mais de 200 milhões, em comparação aos 139 milhões de unidades de crédito. A estimativa da entidade é de que os "private" faturem R$ 67,7 bilhões em 2010. Esse modelo não vai desaparecer, mas a expectativa dos varejistas é de que perca representatividade. (págs. 1, C1 e C2)

Pão de Açúcar fará shoppings
 

O Pão de Açúcar, maior grupo varejista do país e do qual é sócio o francês Casino, vai começar a desenvolver projetos imobiliários
"importantes", que envolverão a construção e a administração de centros comerciais. Essas atividades já são tocadas na França pelo Casino, como informou ontem, em Paris, o presidente mundial da companhia francesa, Jean-Charles Naouri.

Na França, o Casino possui e administra uma centena de shopping centers, com lojas populares como C&A, Zara, Sephora e McDonald´s.
"A associação entre as atividades de distribuição e imobiliária é um dos pilares da visão estratégica do grupo Casino", declarou Naouri, para quem o Brasil se tornou um mercado "da mais alta importância estratégica" para a empresa francesa.

Segundo ele, os projetos imobiliários comerciais não puderam ser realizados antes no país em razão dos juros altos. "Com a queda das taxas, o que permite uma valorização significativa dos ativos imobiliários, o cenário, hoje, possibilita o desenvolvimento dessa atividade".

Foto legenda: Naouri: quando um país se desenvolve, o cliente migra de hipermercados para shoppings

Gávea venderá participação na Magnesita
 

A gestora de recursos Gávea Investimentos, do ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga, decidiu vender a participação de 9,23% que possui na fabricante de refratários Magnesita. O negócio deverá acontecer por meio de leilão, ainda sem data marcada, na bolsa de valores e o Credit Suisse foi contratado para estruturar a operação. O Valor apurou que, desde que a decisão foi tomada, o aluguel de ações da empresa disparou: saltaram de 218,7 mil ações, ou R$ 2,8 milhões, em 17 de fevereiro para 1,116 milhão de papéis, R$ 15,2 milhões, em 2 de março. (págs. 1 e D3)

Petroleiras se desfazem de ativos no país
 

O principal exemplo no Brasil da onda mundial de consolidações no setor de petróleo e gás é a Devon - maior empresa independente de petróleo dos EUA e segunda estrangeira a produzir petróleo no país como operadora -, que colocou ativos à venda. A El Paso oficialmente nega, mas é outra que está saindo do Brasil, tendo atraído a atenção de empresas como a Vale, segundo apurou o Valor. Entre os grupos candidatos à compra estão a australiana BHP, a russa Gazprom e a americana ConocoPhillips. (págs. 1 e B7)

Hines obtém R$ 600 mi com imóveis
 

A Hines, representante do fundo de pensão dos funcionários públicos da Califórnia (Calpers) e dona de cerca de 900 propriedades no mundo, levantou mais de R$ 600 milhões com a venda de prédios comerciais, terrenos e galpões no Brasil nos últimos três meses. Além disso, empreendimentos prontos e já alugados também estão à venda.

O Brasil virou uma espécie de "mina de ouro" para a Calpers, que administra US$ 199,5 bilhões e teve perdas importantes durante a crise. (págs. 1 e B1)

Programa tucano deve reforçar controles do BC
 

A equipe que começa a discutir o programa de governo do pré-candidato do PSDB à Presidência da República estuda a proposição de instrumentos que fortaleçam a atuação do Banco Central no mercado de câmbio. "Não é necessário ter controle sobre o capital, mas precisamos de instrumentos que moderem situações do mercado", diz Geraldo Biasoto Jr., diretor-executivo da Fundação do Desenvolvimento Administrativo (Fundap) de São Paulo e professor licenciado da Unicamp. Em sua avaliação, o corte das despesas correntes deve começar pelas transferências voluntárias, ajuste politicamente mais fácil de ser feito do que nos gastos com pessoal. (págs. 1 e A6)

Fosfertil mantém plano de investir R$ 4 bi para dobrar a produção (págs. 1 e D9)
 


Há 20 anos, a poupança dos brasileiros foi confiscada da noite para o dia (págs. 1 e Eu & Fim de Semana)
 


Indústria acelera
 

A produção da indústria brasileira cresceu 1,1% em janeiro, em relação ao mês anterior. Na comparação anual, a alta foi de 16%, melhor resultado desde 1995, segundo o IBGE. Conforme a CNI, o uso da capacidade foi de 81,4%. (págs. 1 e A3)

Proteção aos sapatos
 

O governo deverá manter, por cinco anos, a sobretaxa aplicada em setembro de 2009 aos calçados importados da China. A medida antidumping terminaria nesta semana. (págs. 1 e A4)

Imposto sustenta centrais
 

As centrais sindicais deverão recebem este ano perto de R$ 100 milhões do imposto sindical pago pelos trabalhadores. O repasse, no entanto, está sendo questionado no Supremo. (págs. 1 e A16)

Foco petroleiro
 

A americana CH2M Hill, de engenharia e construção, firmou parceria com a Método para reforçar sua atuação em infraestrutura no Brasil, principalmente em petróleo. (págs. 1 e B8)

Reajuste do minério de ferro
 

A Vale estaria perto de um acordo com a japonesa JFE Steel para um reajuste superior a 90% para o minério de ferro. O aumento seria dividido em etapas de 40%, em março e abril. (págs. 1 e B8)

Bônus gregos
 

A Grécia vendeu € 5 bilhões em bônus com vencimento em dez anos. A demanda foi três vezes maior. No entanto, os juros são duas vezes maiores que os pagos pela Alemanha. (págs. 1 e C2)

Exigências do pré-sal
 

A exploração de petróleo no pré-sal brasileiro será um desafio também para o setor de resseguros. A capacidade atual do mercado, hoje, estaria em cerca de US$ 3 bilhões. (págs. 1 e C8)

Atração da caderneta
 

A captação líquida das cadernetas de poupança em fevereiro somou R$ 2,32 bilhões, o maior valor para o mês desde 1995, início da série histórica do Banco Central. (págs. 1 e D2)

Ideias
 

Claudia Safatle: há longa lista de projetos no Congresso que criam despesas para as quais não há receitas previstas. (págs. 1 e A2)

Ideias
 

Glauco Arbix: a verdadeira muralha da China é o bloqueio à internet. (págs. 1 e A15)

Ideias
 

Maria Cristina Fernandes: com a mineiridade ferida, limites à transferência de votos de Aécio a Serra são reais. (págs. 1 e A6)

Ideias
 

Armando Castelar: candidatos têm de dizer como executar propostas que permitirão ao país continuar melhorando. (págs. A15)

------------------------------------------------------------------------------------

Estado de Minas
 


 

Manchete: O recado de Minas (pág. 1)
 


------------------------------------------------------------------------------------

Jornal do Commercio
 


 

Manchete: Menos espera por consultas médicas
 

Pela primeira vez, a ANS estuda uma norma que limite prazo máximo para agendamento dos pacientes de planos de saúde. Projeto, bem recebido pelo consumidor, pode esbarrar em problemas como a baixa oferta em algumas especialidades. (pág. 1)

Pesadelo segue no Chile e novo tremor atinge o norte do País (pág. 1)
 


Vídeo lembra aborto em criança e excomunhão (pág. 1)
 


Aberto o processo de impeachment contra Arruda (pág. 1)
 


------------------------------------------------------------------------------------


 
 
- Buya
- Buya

Buya ©.Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta
página em qualquer meio de comunicação.
 

- Buya




Buya ©.Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta
página em qualquer meio de comunicação.