- Links
» Página Inicial
» Estadão
» Revista Veja
» Revista Época
» Folha de São Paulo
» Revista Isto É
» Revista Carta Capital
» Prefeitura de Pirassununga
-
BALAIO DO BUYA
Jornal Virtual
-
» Contato
 
 
- Balaio do Buya
Dizimista 146

 

 
 
Edição nº 146, de 23 de maio de 2010
 
O mundo mágico da Internet
O site mais visitado da região
Pirassununga,SP
O Dizimista– Primeiro jornal virtual de Pirassununga
A palavra que você não ouve, a notícia que você não lê, a realidade que você não enxerga.
 
sábado, 22 de maio de 2010 | 1:57
 
Império religioso - Valdemiro copia Edir Macedo na igreja e, agora, também no jato
 
Valdemiro Santiago, chefe da Igreja Mundial do Poder de Deus, está negociando a compra de um jato bimotor Global Express, de 48 milhões de dólares – igualzinho ao que o seu atual concorrente e antigo chefe Edir Macedo possui. Santiago já é dono de um jatinho e um helicóptero, comprados há menos de um ano.
 
Chamar alguém de cachorro não é ofensa, diz procuradora acusada de maus-tratos
A procuradora aposentada Vera Lúcia de Sant´Anna Gomes, acusada de torturar uma menina de dois anos que estava sob sua guarda, no Rio, confirmou em entrevista à revista "Veja" que chamou a menina de "cachorra".
Procuradora aposentada Vera Lúcia Sant´Anna Gomes, acusada de agressão
"De tudo aquilo de que estão me acusando, admito uma coisa: chamei a menina de cachorra mesmo. No dia em que isso aconteceu, tínhamos uma consulta médica. Ela estava se recusando a comer e ainda por cima sujava a roupa toda de leite. Aquilo foi me irritando profundamente e perdi a paciência. Mas discordo da maioria das pessoas que agora me condenam: para mim, chamar alguém de cachorro não é ofensa."
Na entrevista, Gomes afirma ainda que, como recebe uma boa aposentadoria, decidiu adotar uma criança para não deixar sua pensão para o Estado. E revela que sua intenção era adotar três crianças, para formar "a família que nunca teve".
Sobre as lesões encontradas pelo IML (Instituto Médico Legal) no corpo da criança, a procuradora disse que sabe o motivo apenas do ferimento na testa: foi provocado por caroços de uva no chão, nos quais a menina teria escorregado e ficado com "um machucadinho de nada".
Na cadeia, Gomes diz que dorme à base de antidepressivo, que teme ser agredida por outras presas. "A cadeia dói. Meu lugar não é aqui".
 
Dilma sobe sete pontos e empata com Serra, aponta Datafolha
Pesquisa Datafolha publicada na edição impressa da Folha deste sábado mostra a pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, empatada com o adversário tucano José Serra. Nesta última pesquisa, Dilma e Serra aparecem com 37% das intenções de voto, cada um. Marina Silva (PV) aparece com 12%.
A íntegra da reportagem está disponível para assinantes do UOL e do jornal.
Esta é a melhor marca obtida por Dilma, que avançou sete pontos percentuais em relação à pesquisa de abril, quando aparecia com 30% das intenções de voto. Na mesma comparação, Serra perdeu cinco pontos percentuais. Já Marina segue estável com a mesma taxa de intenção de voto.
O levantamento foi realizado ontem e anteontem com 2.660 entrevistados. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.
PM suspeito de chefiar extermínios é preso
No mesmo dia, corregedor-geral da PM é afastado; substituto terá de pôr "freio" nos casos de violência envolvendo PMs
Suspeita é que o policial preso tenha comandado ação de PMs em 11 mortes; comando da corporação não se manifesta sobre a prisão
Ontem, no mesmo dia em que a Polícia Civil de São Paulo prendeu um policial militar suspeito de chefiar um grupo de extermínio, o Comando-Geral da PM trocou a chefia da corregedoria (órgão fiscalizador) da corporação por suposta falta de uma ação mais efetiva.
Oficialmente, comando da PM e Secretaria da Segurança Pública sustentam que a saída do coronel David Rosolen servirá para "dar novo direcionamento à corregedoria". Hoje, uma série de remanejamentos (cerca de cem, envolvendo patentes que vão de tenentes a coronéis) dentro da PM serão publicadas no "Diário Oficial".
Rosolen será substituído pelo também coronel Admir Gervásio Moreira, ex-chefe do Comando de Policiamento Metropolitano. Rosolen não foi localizado ontem pela Folha.
A ordem do Comando da PM para Moreira é para que ele coloque "freio" nos casos de violência envolvendo PMs.
A saída de Rosolen foi impulsionada pela morte dos motoboys Alexandre Santos, 25, e Eduardo Luís dos Santos, 30, e também do camelô Roberto Marcel Ramiro dos Santos, 22.
Alexandre foi estrangulado por quatro PMs da zona sul de SP; Eduardo foi torturado dentro de um quartel da PM na zona norte; e Roberto foi morto com mais de dez tiros.
Dezenove dias antes de Roberto ser morto, ele e sua mãe, Janete Rodrigues, foram ameaçados de morte pelo PM Valdez Gonçalves dos Santos, 36, do 21º Batalhão, na zona leste.
Na manhã de ontem, por ordem do juiz Daniel Ovalle da Silva Souza, do 1º Tribunal do Júri, o PM Valdez foi preso temporariamente -por 30 dias. O pedido de prisão partiu do DHPP (departamento de homicídios), da Polícia Civil. Até então, a Corregedoria da PM não tinha feito quase nada contra o PM Valdez.

Prefeitura desiste de empossar professora cega
DA AGÊNCIA FOLHA
A Prefeitura de Campo Grande (MS) desistiu de empossar Telma Nantes de Matos, 43, deficiente visual aprovada em concurso para professora primária. O motivo é a manutenção de ação judicial com pedido de indenização de R$ 120 mil, apesar da promessa de incluí-la no quadro funcional.
Para o procurador-geral do município, Ernesto Borges, ela tem mais interesse na indenização que no cargo. Ela nega e não abre mão dos danos morais como punição educativa.
Segundo a advogada de Matos, a posse não foi garantida formalmente pela prefeitura. O procurador do município, porém, afirma que foi proposta uma petição conjunta.
INDÍCE DE REJEIÇÃO: Serra 27% e Dilma 20%



Justiça de SP decide que marido que deixou mulher por um homem não deve indenizá-la
Especial para o UOL Notícias
Em São Paulo
Numa decisão inédita, o Tribunal de Justiça de São Paulo absolveu um homem do dever de indenizar sua ex-mulher. Ela pedia indenização por dano moral porque a causa da separação do casal foi o relacionamento homossexual do ex-marido. A Justiça reconheceu que o relacionamento com terceiro constituiu o motivo da separação, provocou aborrecimento e insatisfação, mas não configurou ato ilícito capaz de viabilizar a concessão de indenização.
O caso foi julgado numa ação de separação judicial litigiosa em que a mulher reclamava a partilha de bens – inclusive o domínio de um imóvel –, a obrigação do ex-marido de arcar com o pagamento das despesas como IPTU, água e luz e uma indenização por danos morais no valor de R$ 50 mil. Em primeira instância, a Justiça excluiu da partilha o imóvel e atendeu aos demais pedidos.
O ex-marido entrou com recurso no Tribunal de Justiça para que a indenização fosse excluída da sentença. Sustentou que não havia prova que configurasse o dano moral. A mulher manteve a exigência, alegando que sofreu constrangimento pelo fato de ser abandonada pelo marido, depois de 23 anos de casamento, e que este a deixou para constituir nova família numa relação homoafetiva.
O TJ não aceitou o argumento da ex-mulher por entender que o relacionamento extraconjugal do ex-marido foi apenas consequência de uma união em que os sentimentos iniciais de amor não perduraram com o tempo. Ainda de acordo com os julgadores, os motivos apresentados pela mulher para justificar o pedido de dano moral não passaram de meros aborrecimentos e insatisfações inerentes ao fim da vida em comum.
Para a Justiça, não é o caso do casamento que sobreviveu por duas décadas se findar com o relacionamento homossexual do ex-marido que confere uma qualidade excepcional à separação, uma vez que as relações homoafetivas hoje já são reconhecidas legalmente como união estável.
“Quanto ao envolvimento do homem com outra pessoa do mesmo sexo, não há que se fazer distinção, em face do princípio constitucional da isonomia, lembrando que inexiste na espécie qualquer fato vexatório excepcional a justificar a concessão da pretendida indenização, que não é devida pelo simples fato de cuidar-se de envolvimento homossexual”, justificou o relator do recurso.
 
 
Repasse. Se nos anos 40 existisse Internet, Hitler não teria assassinado milhões de judeus.
 
Buya neles!!!
 
 
 
 
- Buya




Buya ©.Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta
página em qualquer meio de comunicação.