- Links
» Página Inicial
» Estadão
» Revista Veja
» Revista Época
» Folha de São Paulo
» Revista Isto É
» Revista Carta Capital
» Prefeitura de Pirassununga
-
BALAIO DO BUYA
Jornal Virtual
-
» Contato
 
 
- Balaio do Buya
Dizimista 147

 

 
 
Edição nº 147, de 24 de maio de 2010
 
O mundo mágico da Internet
O site mais visitado da região
Pirassununga,SP
O Dizimista– Primeiro jornal virtual de Pirassununga
A palavra que você não ouve, a notícia que você não lê, a realidade que você não enxerga.
 
 
·         Radar on-line
segunda-feira, 24 de maio de 2010 | 15:22
Não é novidade o fato de um candidato tucano voar no avião de Ronaldo Cezar. Desde 1989 isso acontece. Naquele ano, Mário Covas fez sua campanha usando um avião de Ronaldo. Cinco anos depois, foi a vez de FHC. Serra, em 2002, e Geraldo Alckmin, em 2006, deram azar. Ronaldo tinha vendido seu avião. Só recentemente comprou o que está sendo usado agora por Serra.
  1. tuttyvasques
MUY AMIGO: Barack Obama escreveu a Lula, de novo. Pede agora em carta ao colega brasileiro que negocie um acordo entre as Coreias.
 
Pesquisa Datafolha
Datafolha mostrar arrancada de Dilma Rousseff nas pesquisas
Por Imprensa PT-SP
Segunda-feira, 24 de maio de 2010
Após as pesquisas recentes dos institutos Vox Populi e Sensus, agora foi a vez de o Datafolha mostrar a arrancada de Dilma Rousseff nas pesquisas de intenção de voto e a queda de José Serra (PSDB). O dois estão empatados com 37% na simulação de 1º turno e com 42% na de segundo turno. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Foram entrevistadas 2.660 pessoas na quinta e sexta-feira.

Na comparação com o levantamento de abril, Dilma subiu de 30% para 37% na disputa de primeiro turno. Já Serra caiu de 42% para 37%. Marina Silva (PV) se manteve com 12% das preferências. As intenções de votos brancos e nulos somaram 5%, e os indecisos são 9%. O Datafolha era o único instituto que ainda sustentava uma vantagem expressiva para o tucano - o que agora desapareceu.

Na pesquisa espontânea, que não mostra os nomes dos pré-candidatos, Dilma lidera com 19%, contra 14% de Serra. A petista cresce num ritmo mais acelerado do que o tucano. A resposta espontânea mostra ainda um grande número de pessoas que citam o presidente Lula e "o candidato do PT". "Em tese, portanto, o potencial de voto espontâneo em Dilma pode ser de 28% - os seus 19% e mais outros 9% dos que desejam votar em Lula, em quem ele indicar ou em um nome apresentado pelo PT", afirma a reportagem do jornal Folha de S. Paulo, proprietário do instituto.

Um item importante apontado pelo Datafolha foi a mudança nos índices de rejeição, favorável à petista. "Dilma também colheu bom resultado na rejeição: seu índice caiu de 24% para 20% enquanto o de Serra subiu de 24% para 27%", diz a reportagem.

As pesquisas Vox Populi e Sensus divulgadas na última semana já mostram Dilma na liderança das preferências:
24 de maio de 2010
No alto da home do "Financial Times", "Pesquisa prevê cabeça a cabeça no Brasil". No título do correspondente Jonathan Wheatley, "Grande impulso põe favorita de Lula cabeça a cabeça [in dead heat]". Explica o avanço pela vinculação de Dilma a Lula, mas também de Serra a FHC. No topo das buscas de Brasil pelo Yahoo News, sábado e domingo, a Reuters usou a mesma expressão, "dead heat", para o empate.

Pelas agências, no fim de semana, a pesquisa se misturou à passagem de Dilma por Nova York, onde declarou que o "Brasil está pronto para primeira mulher presidente", no enunciado da France Presse, e "Brasil pode reduzir meta de inflação", da Bloomberg.
 
Alto de página no "Le Monde", "Sucessão de Lula toma forma de um duelo". O correspondente Jean-Pierre Langellier avisa que, apesar da "intensa atividade diplomática", o evento do ano é a eleição  
 
O portal Terra entrevistou Antonio Lavareda, ex-estrategista de FHC. Ele diz que não está funcionando a opção de não atacar Lula -e que Serra não achou "posicionamento ideal". O que mais chamou sua atenção no Datafolha foi que Dilma já aparece na frente no segundo turno.
 
O "Boston Globe" publicou longo elogio a Henrique Meirelles. "O mundo muda muito em 14 anos", começa o texto, saudoso da recepção "extravagante" ao brasileiro presidente do Bank of Boston. Diz que o "Brasil é estrela da economia global e Meirelles pode se dar algum crédito", ele que "é invejado pelos banqueiros centrais do mundo". O brasileiro voltou a Boston para uma palestra e o "Globe" sugeriu citar os empregos criados em abril: "Brasil, 305 mil. EUA, 290 mil".Nelson sá
  
Repasse. Se nos anos 40 existisse Internet, Hitler não teria assassinado milhões de judeus.
 
Buya neles!!!
 
 
 
- Buya




Buya ©.Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta
página em qualquer meio de comunicação.